Duzentos e oitenta milhões de dólares serão disponibilizados pelo Banco Mundial (BM), para financiamento adicional do segundo Projecto de Desenvolvimento Institucional do Sector da Água (PDISA2) e do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial.
Esse valor resulta de um acordo financeiro rubricado ontem, em Luanda, pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira, pelo presidente do Fundo de Garantia de Crédito, João Júlio, e pelo representante do Banco Mundial em Angola e São Tomé e Príncipe, Oliver Lambert.

Discursos
Na ocasião, o ministro das Finanças, Archer Mangueira, referiu que os dois acordos de financiamento vão dar um contributo importante à economia angolana, no momento em que existem grandes desafios para a diversificação da economia, estando enquadrados no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022.
Explicou que o projecto da Agricultura comercial faz parte de um programa amplo que também tem financiamento da Agência Francesa de Desenvolvimento na ordem de 100 milhões de dólares.
Já o representante do Banco Mundial disse que o financiamento adicional, no valor de USD150 milhões, do PDISA2 irá contribuir no aumento da cobertura do serviço de abastecimento de água em nove cidades do país, nomeadamente Lubango, Ndalatando, Dundo, Luena, Moçamedes, Kuito, Huambo, Malange e Uíge.
Frisou que o valor permitirá igualmente reforçar a capacidade institucional das Empresas Provinciais de Água e Saneamento, Direcção Nacional de Água, Instituto Regulador dos Serviços de Electricidade e de Água e do Instituto Nacional de Recursos Hídricos de Angola.

Cooperação
De acordo com o projecto, serão alargadas as actividades de apoio e reforço institucional ao subsector do saneamento através da implementação de um projecto-piloto.
Em relação ao PDISA2, fez saber que irá beneficiar cerca de 1,2 milhões de pessoas nas nove cidades, com serviços públicos de ligação de água domiciliária.
O Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial, no valor de USD 130 milhões, irá contribuir para o aumento da produtividade e o acesso ao mercado dos beneficiários elegíveis ao longo de dois corredores rodoviários criados.
Deste modo, os dois corredores são: (A) Luanda-Bengo-Cuanza Norte-Malange e (B) Luanda-Bengo-Cuanza-Sul-Huambo-Norte da Huíla), que ligam a principal área agrícola do planalto central aos mais importantes mercados urbanos de Luanda.
Além da assistência técnica e do apoio financeiro aos agricultores elegíveis e às PME do sector das agro-indústrias nas áreas do projecto, o projecto apoiará as infra-estruturas rurais e um ambiente favorável à agricultura comercial.
O projecto irá beneficiar as pequenas e médias empresas (PME) do sector das agro-indústrias, mulheres e jovens rurais, organizações empresariais e instituições académicas e de investigação.
A Agência Francesa de Desenvolvimento (Agence Française de Développment) irá co-financiar este projecto com um empréstimo denominado em Euros no equivalente a EUR 79 milhões.
O Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial foi aprovado pelo Despacho Presidencial n.º 81/18, de 13 de Julho, no montante de EUR 105,5 milhões, equivalente a USD 130 milhões a ser financiado pelo Banco Mundial.
O Financiamento Adicional para o Projecto de Desenvolvimento Institucional do Sector de Águas PDISA II foi aprovado pelo Despacho presidencial n.º 82/18, de 13 de Julho, no montante de EUR 150 milhões, componente Banco Mundial.
O financiamento adicional servirá para cobrir os USD 95 milhões do Fundo, inicialmente previsto como contrapartida do Governo de Angola, correspondente a 17% do valor total do Projecto, e USD 55 milhões serão utilizados para a implementação de um projecto-piloto de saneamento básico.

Números dos acordos 

17
por cento
Perfazem a contrapartida do Governo de Angola do montante de 150 milhões de Euros financiados pelo Banco Mundial.


150
milhões de dólares
Custos do PDISA2 que irá ajudar no aumento da cobertura do serviço de abastecimento de água em nove cidades do país, nomeadamente Lubango, Ndalatando, Dundo, Luena, Moçamedes, Kuito, Huambo, Malange e Uíge.


1,2
milhões de beneficiários
São as pessoas nas nove cidades, que se beneficiam com serviços públicos de ligação de água domiciliária.


130
milhões de dólares
É o valor a financiar para contribuir no aumento da produtividade e o acesso ao mercado dos beneficiários elegíveis ao longo de dois corredores rodoviários criados no âmbito do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial.