A província do Cuanza-Norte está situada no interior noroeste de Angola, com uma área de cerca 24.110 quilómetros quadrados.
Está limitada a Norte pela província do Uíge, a Oeste pelo Bengo, a Este por Malanje e a Sul pelo Cuanza Sul.
A província tem a sua capital Ndalatando, que durante a época colonial era conhecida por Salazar, e é composta por 10 municípios, a saber Ambaca, Banga, Bolongongo, Cambambe, Cazengo, Golungo Alto, Ngonguembo, Lucala, Quiculungo e Samba Cajú.
A província é ainda conhecida como cidade pequena de estilo colonial, situada junto ao Monte Mpinda, a 248 quilómetros de Luanda e a 175 de Malanje.
A agricultura é a principal actividade económica da cidade de Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte, também conhecida como da “rosa de porcelana”, que tem como principais culturas a do milho, ginguba, café, algodão, ervilha, feijão, mandioca, sisal, dendém e massambala, respectivamente.
A pesca artesanal, importante actividade na faixa Sul da província é praticada em quatro lagoas e nos rios Kwanza e Lucala.
Ainda por explorar e com fortes potencialidades comerciais estão várias matérias-primas, como o mármore rosa, o magnésio, o ferro, o ouro, a madeira, a pecuária e a água mineral, oriunda da fonte de águas de Santa Isabel.
A exploração de madeira nesta província tem grande potencial pela floresta autóctone na região dos Dembos e o facto da madeira poder ser serrada e transformada localmente, contribuindo para a reactivação de pequenas carpintarias e marcenarias.
A província detém, ainda, uma gama considerável de minerais, tais como ouro, diamantes, ferro, manganês,
mármore, níquel, zinco e cal.
O parque industrial da mesma está localizado no município de Cambambe e é forte, sobretudo no sector têxtil e de bebidas. Salienta-se a ainda o calçado, couro, tabaco e produtos alimentares. Já no concernente ao artesanato, explora-se localmente sobretudo materiais como a madeira, a argila e o bordão.

MM e SVD