O Projecto Nacional “Angola Net”, desenvolvido pelo Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação fica concluído a nível de Malanje no primeiro semestre do próximo ano, revelou o director do Gabinete Provincial dos Transportes e Telecomunicações, Edgar Ndala.
O projecto consiste na instalação de pontos de acesso à internet grátis através de sistemas de banda larga, principalmente nas escolas e nos locais públicos para facilitar a população, em particular os estudantes na pesquisa de conteúdos científicos entre outros temas de interesse social.
Neste momento, a instituição aguarda apenas pela chegada do segundo lote para a sua implementação em mais pontos da cidade e possivelmente estender o projecto para o interior da província. A província de Malanje foi contemplada numa primeira fase com dois pontos de internet grátis, localizados no Largo da Liberdade e outro que está a funcionar na Faculdade de Medicina e que tem absorvido os estudantes daquela unidade orgânica afecta à Universidade Lueji-a-Nkonde, segundo deu a conhecer Edgar Ndala.
O ponto de internet instalado no Largo do Jardim Municipal, de acordo com o responsável, absorve todos os estratos sociais.
A expansão do projecto está também condicionada à actual conjuntura financeira, disse o director do Gabinete Provincial dos Transportes Correios e Telecomunicações, acrescentando que os referidos serviços estão virados essencialmente às escolas e lugares públicos e não para instituições privadas.
O Projecto “Angola Net”, frisou, vem colmatar o défice das pessoas, quer na obtenção do saldo de dados, quer na própria velocidade que o sistema transmite às populações.
“É um sistema que numa primeira fase só contempla o município sede da província de Malanje, mais concretamente a cidade e os bairros periféricos, e que pode ser expandido para outros municípios com o andar do tempo”, reforçou. Um total de 12 estão já identificados na cidade de Malanje, no âmbito do projecto “Angola Digital”, que visa proporcionar ao público a facilidade de acesso à Internet, ao conhecimento e à troca de informações. O director assegurou que a qualidade do sinal emitido satisfaz os utentes em geral, se for tido em conta o número de indivíduos dos vários segmentos sociais e faixa etária que acorrem àqueles serviços para navegarem em diferentes horários.
Quanto à capacidade do sistema, o responsável explicou que o mesmo está configurado apenas para o acesso a determinados conteúdos, com excepção de filmes, que não podem ser baixados com facilidade. Lamentou a falta da existência do sinal em outros pontos da cidade para descongestionar os dois pontos instalados na cidade de Malanje. Destacou igualmente a inauguração de um ponto de internet grátis no parque de Jogos Valódia, resultante de uma iniciativa privada o que tem atraído os jovens que acorrem ao local principalmente aos finais de semana. Entres os internautas encontramos Jonilsom Francisco Filipe, estudante do Instituto Médio Politécnico Sócrates. Ele realçou que os pontos de internet grátis têm facilitado os estudantes na resolução dos trabalhos académicos, sobretudo devido à falta de capacidade financeira dos educandos e de alguns encarregados de educação.