Os agentes económicos de Luanda, sobretudo os proprietários dos grandes armazéns de bebidas e produtos de consumo, começaram nos últimos dias a aumentar os preços dos bens em função de uma eventual subida dos impostos dos principais produtos de importação, apurou o Jornal de Economia & Finanças.

Durante numa ronda efectuada nos armazéns do Cazenga, Estalagem e Calemba 2, constatou-se que os preços dos principais produtos de consumo como arroz, frango, óleo, peixe, açúcar, bebidas alcoólicas e não alcoólicas começaram a subir a cada dia.
Questionados sobre a situação, os comerciantes recusaram-se a prestar quaisquer declarações sobre o fenómeno, mas segundo apurou o JE dos próprios trabalhadores, alegam uma eventual subida dos impostos nos próximos dias.
Em função disso, alguns estabelecimentos já começaram a praticar a política de açambarcamento (guardar os produtos), outros iniciaram a vender de forma faseada, para permitir que os preços subam ainda mais e tirar maior margem de lucro.
No município do Cazenga, por exemplo, na última segunda-feira, alguns armazéns não abriram as portas, outros só começaram a atender ao público a partir das 10 horas, depois de conferirem os preços noutros estabelecimentos para posteriormente fazerem
a actualização dos preços.
Na estalagem, os armazéns de bebida a grosso registaram enchentes, pois os compradores estavam confusos com os preços. Alguns vendedores recusavam a vender os seus produtos, mas outros limitavam à venda dos produtos permitindo apenas a uma unidade por cada cliente.