A “Operação Resgate” arrancou em todo o país, a 6 de Novembro, com o objectivo de incutir na mente dos angolanos e dos estrangeiros residentes em Angola, principalmente daqueles que exercem actividade comercial, a consciência do exercício de actividades na legalidade, cumprindo-se com as obrigações para o crescimento do país.
Em Cabinda, a “Operação Resgate”, principalmente no sector do Comércio, Hotelaria e Turismo, está a impulsionar os operadores económicos, quer nacionais, quer estrangeiros, a legalizarem os seus estabelecimentos comerciais, para o exercicio da actividade de forma tranquila, de modo a venderem os produtos aos clientes sem receios de verem os seus negócios confiscados.
Em entrevista ao JE, o secretário provincial em exercício do Comércio, Hotelaria e Turismo, António Baza, disse que a “Operação Resgate” está a incentivar alguns operadores económicos, que estavam fora do controlo do organismo que dirige, a exercerem a actividade comercial de forma ilegal, mediante a legalização das actividades afins , para que, futuramente, não sejam impedidos por irregularidades na prestação de serviços.
“Felizmente a ‘Operação Resgate’ veio despertar aqueles operadores económicos que estavam a exercer a actividade comercial de forma ilegal. Por causa desta operação, existe grande fluxo de pessoas aos nossos serviços e temos estado a aconselhar os agentes económicos a terem toda a documentação em ordem, para poderem trabalhar à vontade”, disse.