A perda do monopólio no pagamento à Segurança Social e gestão dos activos desse segmento por parte do Banco de Poupança e Crédito (BPC), determinada recentemente pelo Governo, abre portas à entrada dos outros operadores que tenham representatividade nacional.
Numa recente entrevista à Rádio Nacional de Angola (RNA), embora não tenha avançado nomes, o director-adjunto do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), Pedro Filipe, disse que um dos critérios para que outros bancos possam também gerir os pagamentos aos pensionistas da Segurança Social é a sua presença com agências pelas 18 províncias do país.
Ao que sabe o JE, os bancos Internacional de Crédito (BIC), de Fomento Angola (BFA), de Comércio e Indústria (BCI) e o Angolano de Investimentos (BAI) são os que preenchem tais requisitos, a par do BPC, o que poderá ocorrer com a disponibilidade deste “players” em entrarem neste domínio.
Os dados mais recentes do INSS dão conta que há 160 mil contribuintes registados, em princípio, uma situação que tem causado enormes embaraços ao banco público, que entrou numa fase de reestruturação face à alta do crédito mal parado na sua carteira de activos.
Nos próximos dias, o INSS deverá anunciar os novos bancos que passam a dividir com o BPC este dossier.