Os bancos Millennium Atlântico (ATL), Angolano de Investimentos (BAI), Crédito do Sul (BCS), Fomento Angola (BFA) e de Poupança e Crédito (BPC) ficaram, esta semana, cada um com 25 milhões de euros do total de 244,04 milhões que o Banco Nacional de Angola (BNA) disponibilizou.

Tais recursos injectados à banca destinaram-se a abertura e confirmação de cartas de crédito para importação de matéria-prima e equipamento fabril, hospitalar, agrícola e pesqueiro.
De acordo com a boletim de vendas que o BNA fez publicar na sua página na quarta-feira, ao leilão de quantidade tomaram parte 21 bancos comerciais.
Fora os cinco (5) primeiros, também beneficiaram do processo o VTB com 20 milhões; Sol com 19,8 milhões; BNI com 15 milhões; BIC com 12 milhões; BCH e BE com 10 milhões cada um e BCI com BCI sete (7) milhões. A listagem faz ainda referência aos bancos BCA e Keve que ficaram com seis (6) milhões de euros cada; VAlor (BVB) com 4,3 milhões; Finibanco (FNB) com 2,5 milhões; de Investimento Rural (BIR) com dois (2) milhões; O Yetu com 1,9 milhão; o Postal (BPT) com um milhão e o Prestígio (BPG) com 922 mil e o Standard Chartered Bank de Angola (SCBA) com 500 mil euros, respectivamente.
No que diz respeito ao leilão de preço para cobertura operações Privadas (Viagem, ajuda familiar, saúde, educação, salários de trabalhadores expatriados, até EUR 15 mil por beneficiário e cartões pagamento de internacional) e adiantamentos para mercadorias até ao limite de 25 mil por ordenador, o BNA dispôs à banca de um total de 104,15 milhões de euros.
Aqui, um total de oito (8) bancos ATL, BAI, BCS, BE, BFA, BIC, BPC e BSol ficaram cada um com 7,5 milhões de euros, perfazendo 60 milhões. Os restantes 17 operadores dividiram entre si e em valores diferentes em função da posição cambial de cada, a carteira de 44,15 milhões de euros. Desta sessão, foi apurada a taxa de câmbio média ponderada de Kz 301,371 por EURO, com variação de 1,30 por cento.

Bodiva encerra o mês com 58,9 mil
milhões de kwanzas em negócios

A Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA) encerrou o mês de Julho com um montante avaliado em cerca de 58, 9 mil milhões de kwanzas, dos quais 42,8 mil milhões foram negociados no Mercado Multilateral e 16, 1 mil milhões no Bilateral, segundo o relatório mensal do Mercado Secundário de Dívida Pública.
Durante o passado mês de Junho, a Bodiva encerrou as transacções com 82 mil milhões de kwanzas, sendo 20,2 mil milhões no Ambiente Bilateral e 62 mil milhões no Ambiente Multilateral. Em resumo, entre Junho e Julho, as negociações na bolsa recuaram em mais de 24 mil milhões de kwanzas.
O Banco de Fomento Angola (BFA) mantém a liderança, que vem tendo desde o início do ano, com mais de 481 negócios realizados, seguido pelo Banco Angolano de Investimento (BAI) com 57, e o Standard Bank Angola (SBA) com nove.
No total, foram realizados 550 negócios em Julho contra os 737 de Junho, tendo sido observado uma queda de 187 negócios. Entre Janeiro e Julho, a Bodiva já movimentou mais de 1500 negócios avaliados em 417, 4 mil milhões.
Segundo a referida nota, a Bodiva acredita que o registo das transacções no MROV, ao dar a conhecer a todo o mercado os termos dos negócios (preço e quantidade) efectuados, irá concorrer para o aumento da transparência e da confiança dos investidores. Por outro lado, espera-se que o mesmo exercício concorra para a formação de uma curva de preços para os activos nele registados, que deverão servir de referência para futuras transacções.
A Bolsa de Dívida e Valores de Angola, enquanto Sociedade Gestora de Mercados Regulamentados tem como missão promover o desenvolvimento do Mercado Regulamentado de Valores Mobiliários e Derivados e, desse modo, contribuir decisivamente para o financiamento sustentado
da economia de Angola.
Recorde-se que está já disponível, desde o dia 2 de Julho o Portal do Investidor. A referida ferramenta permite que se efectue a compra de títulos do tesouro on-line, com o pagamento a ser feito através da rede multicaixa, tendo como montante máximo para emissão de Bilhetes do Tesouro o total de 7 milhões de kwanzas e de 20 milhões para Obrigações, sendo o montante mínimo de 5.000 kwanzas.