A contribuição da sociedade no relançamento do desenvolvimento dos municípios, à luz da nova dinâmica de governação local, constituiu o principal objectivo da abertura da conferência provincial de quadros do Cuanza-Norte.
De acordo com o porta-voz da comissão organizadora do evento, Miguel Gaspar, a realização do certame visou também abordar questões ligadas à problemática da “exiguidade” de quadros competentes a nível dos diversos sectores da administração pública local.
O também director da Comunicação Social do Cuanza-Norte revelou que a fraca capacidade de atracção de investidores e exploração dos recursos naturais, associadas à pouca visão e de ambição por parte dos quadros, foram outros factores que impulsionam a realização do evento.
“A falta de infra-estruturas de apoio e alavancamento de ideias empreendedoras e da limitação do parque hoteleiro e restauração estiveram no cerne desta conferência de quadros”, disse.
Miguel Gaspar lembrou que o governo provincial pretendedar maior atenção aos serviços de saúde, a criação de diversos institutos médios e superiores, a par da impulsionar novos postos de trabalho para a juventude.
Por outro lado, ressaltou que um dos objectivos cruciais da realização da conferência de quadros esteve patente na recolha de contribuições programáticas para potenciar o programa de desenvolvimento do governo provincial e de igual modo identificar quadros técnicos com vista a potenciar as administrações municipais.
O porta-voz da conferência fez saber ainda que durante os dois dias do certame procurou-se buscar estratégias com vista à identificação de quadros formados nos distintos ramos do saber, cadastrar as potencialidades de cada município, bem assim como mostrar através de gráficos os pontos fortes e fracos de cada um sobre os recursos naturais e infra-estruturas.
“As razões ou causas que contribuem para a falta de desenvolvimento nos municípios, bem como as potencialidades que podem alavancar a diversificação da economia num curto espaço de tempo também foram afloradas durante a conferência”, destacou.
Durante os debates, precisou, foram aflorados temas ligados à criação de políticas concretas para o fomento do empreendedorismo e atracção do investimento privado à escala global, recolha de contribuições dos quadros para o relançamento do desenvolvimento dos municípios, cadastramento dos quadros da província formados a distintos níveis e registo das potencialidades de cada município.
O responsável informou que foi igualmente analisado os principais problemas e causas da morosidade de desenvolvimento dos municípios, a par da adopção de estratégias de diversificação da economia e relançamento da vida nas aldeias, vilas e comunas.
O governante garantiu ainda que o Governo do Cuanza-Norte continuará aberto para a concertação permanente com os quadros e reforço da governação participativa que ajude o contínuo progresso da província e elevação das condições de vida dos cidadãos.
Segundo Miguel Gaspar, consta da estratégia do governo provincial do Cuanza-Norte, a adopção de estratégias que assegurem um aproveitamento eficiente dos quadros em função dos conhecimentos de cada um, tendo apelado a observância do patriotismo, abstenção da vaidade e arrogância, mas sim a partilharem os conhecimentos que dispõem para o crescimento da província e dos municípios, em particular.
O governo da província do Cuanza Norte se propõem a uma maior abertura e diálogo, com os vários estratos da sociedade, sobretudo com os jovens, com vista a auscultar os seus anseios, necessidades e preocupações.
As preocupações devem merecer atenção dos responsáveis da administração pública para a sua análise e possível resolução.
O governo provincial de desenvolvido várias acções com vista a debater questões que aflingem a sociedade local, tal é o caso da 1ª Conferência Provincial da Juventude, realizada no ano passado, em Ndalatando.