Na sua estratégia para o quinquénio, o Governo pretende prosseguir com o programa de construção de novos corredores rodoviários estruturantes.
Neste contexto, prevê-se a construção das estradas do Leste, vias rápidas e a planificação e construção de vias circulantes, anéis rodoviários e radiais às principais cidades, designadamente Cabinda, Benguela/Catumbela/Lobito, Lubango, Huambo/Caála, Saurimo, Ondjiva e Malanje.
No quinquénio pretende-se construir mais de 1.100 quilómetros (km) de estradas adicionando aos 2.843 km de estradas já construídas até 2016. Prevê-se reabilitar mais de 7.083 km de estradas adicionando aos 10.219 km já reabilitados até 2016.

Realizações
O sector da Construção e Obras Públicas tem como desafios para o período, a realização de grandes obras de engenharia a serem construídas no país, promovendo a sua planificação, coordenação, execução e controlo, com realce para barragens, aeroportos, portos e caminhos-de-ferro.
Está também em forja o desassoreamento dos leitos dos rios, combate à erosão, contenção de ravinas, protecção costeira.

Operacionalização
Nos seu plano de acção contém medidas que para o sector da Construção e Obras Públicas, orienta a operacionalização “plenamente” das linhas de crédito.
Ressalta ainda à vista, o processo de se potenciar o Laboratório de Engenharia de Angola (LEA) no sentido de criação imediata de capacidades técnicas, para a certificação das obras públicas, visando assegurar melhor nível da sua qualidade e segurança.
As obras serão objecto de verificação do Lea que, mediante a utilização de equipamentos específicos, vai aferir a qualidade de resistência do traçado, geometria da estrada e o conforto do pavimento, sendo esta uma das exigências constantes no contrato, cujo cumprimento deve ser rigorosamente observado.