Termina amanhã, o processo de inscrição para uma vaga na Universidade Agostinho Neto (UAN), sendo que os exames de admissão começam no dia 30 e terminam a 6 de Fevereiro.
Por estes dias, o corre-corre de jovens e encarregados de educação, ávidos de encontrar uma vaga, junto do Campus Universitário da UAN tem sido uma constante.
Para este ano lectivo, a instituição de ensino superior pública anunciou que tem disponível 5.385 vagas, contra um total de 4.800 do ano passado.

Processo de inscrição
Dados da instituição indicam que para este ano prevê-se 50 mil candidatos, sendo que por cada inscrição, a universidade cobra quatro mil kwanzas (por um curso) e seis mil kwanzas por dois cursos, para cada candidato.
Falando à imprensa, o coordenador da subcomissão de comunicação da Comissão Técnica do Exame de Acesso a UAN-2017, Arlindo Isabel, informou que o valor cobrado é um emolumento estabelecido para suportar os custos da operação, que envolve mais de 500 funcionários, entre professores, funcionários não docentes e estudantes.
Esta cobrança, destacou é feita por que o processo de inscrição não tem cobertura no Orçamento Geral do Estado, numa altura em que há necessidade de se distribuir folhetos e regulamentos a todos os candidatos.
As cobranças no acto de inscrição são uma decisão interna da Universidade Agostinho Neto, aprovada pelos órgãos da instituição de ensino superior.
A Lei de Bases do Sistema de Educação e Ensino define o regime jurídico do Ensino Superior, com realce para as despesas relativas às inscrições, assistência às aulas, material escolar e outros encargos.
Com cerca de 45 cursos, distribuídos nas nove unidades orgânicas, estão disponíveis na Universidade Agostinho Neto (UAN).

Historial
O ensino superior foi implantado em Angola no ano de 1962, com a criação dos Estudos Gerais Universitários de Angola.
A Igreja Católica tinha, porém, criado em 1958 o seu Seminário, com estudos superiores em Luanda e no Huambo.
Na criação dos Estudos Gerais Universitários de Angola, seguiu-se os cursos nas cidades de Luanda (medicina, ciências e engenharias), Huambo (agronomia e veterinária) e Lubango (letras, geografia e pedagogia).
Com a proclamação da independência política de Angola, em 1975, foi criada a Universidade de Angola (em 1976), mantendo-se uma única instituição de ensino superior de âmbito nacional. No ano de 1985, a Universidade de Angola passou a designar-se Universidade Agostinho Neto, que se manteve até 2009 como única instituição estatal de ensino superior no país.
Desde 2009, altura em que foi desmembrada a Universidade Agostinho Neto, até agora a instituição se mantém como sendo a maior escola de ensino superior do país.
A liberalização do ensino superior, com a promoção da criação de uma rede de instituições privadas tem contribuído significativamente para expansão do sector em todo o território nacional.