As condições estão preparadas para uma boa campanha agrícola 2017/2018, a nível da província do Huambo.
À semelhança dos anos anteriores, a presente época envolve 321.475 famílias camponesas para cultivar 482.212 hectares com culturas diversas, cujo destaque recai para o milho e feijão.
Mais de 100 toneladas de fertilizantes e outros insumos estão disponíveis para a campanha deste ano, e o governo provincial exorta os comerciantes a praticarem preços justos dos adubos para que esta seja melhor que as anteriores, com vista a garantir maiores quantidades de alimentos.
Um saco de cinco quilogramas vai custar ao produtor cinco mil kwanzas e o de nove, passa também a custar nove mil. Com estas condições, a previsão é colher no final, mais de 400 mil toneladas de produtos agrícolas diversos e criar excedentes para a comercialização.
Num dos encontros de esclarecimento sobre a preparação da campanha, o director provincial da Agricultura, António Manuel Teixeira, disse que o adubo e outros equipamentos indispensáveis para a agricultura vão ser subvencionados para facilitar a actividade e evitar especulação.
O Huambo pretende fazer desta campanha agrícola, a melhor em relação às anteriores, com as famílias camponesas, agricultores e todo o pessoal envolvido a receber atempadamente os seus meios a preços mais baixos, evitando os atrasos que se verificavam nas campanhas anteriores.
Além de fertilizantes, está igualmente acautelada a problemática relacionada com as sementes para se evitar constrangimentos e a subida de preço. Todos estes insumos vão chegar ao produtor a baixos preços e em quantidades requeridas.
Promover a produção
O Governo do Huambo, através da Direcção provincial da Agricultura pretende também preparar terras para o fomento da cultura de grãos e oleaginosas, a cultura do café arábico e promover a produção e o controlo da qualidade de sementes, assim como a certificação de produtos agrícolas.
Centenas de toneladas de sementes melhoradas de milho, feijão e soja estão disponíveis também para os camponeses e agricultores da região.
Os camponeses, associados e não associados e cooperativistas podem adquirir sementes de qualidade, melhorada localmente a preços baixos e poderão desenvolver as suas actividades com maior segurança e menos riscos.
Neste grande objectivo, o Executivo conta com o apoio das instituições privadas e algumas ONG, como é o caso da Codespa, que ajuda a multiplicar as sementes e a produzir sementes de qualidade na região.
O fim é incrementar a produção agro-pecuária, melhorar a qualidade dos produtos e criar excedentes para os produtores venderem.

Formação técnica
A capacitação dos técnicos do sector mediante formação de curta duração tem sido também uma das prioridades em vários domínios, principalmente na investigação científica e tecnológica.
Com objectivo de aumentar a criação das espécies avícolas, o sector da agricultura no Huambo está a incentivar os camponeses a desenvolver o cultivo da massambala, massango e outros cereais, considerados como base para a sua alimentação e permitir o crescimento populacional destas espécies.
O Governo entende que, além de outros projectos, se deve estimular os produtores com acções que visam aumentar a criação de aves, com o fomento do cultivo da massambala, massango e outros cereais.