A ceia de Natal para muitos é o momento apropriado para passar em família. Juntar as pessoas mais próximas, parentes e, simplesmente, comemorar. Seja de forma simples ou mais requintada, o que importa é celebrar a união, independentemente do que será servido na ceia ou do presente que estará ao pé da árvore.
A reportagem do JE entrevistou as famílias e constatou que apesar do momento menos bom da economia, o espírito natalício permanece o mesmo de forma singela, a comemoração poderá ser inesquecível.
É assim que para a família da dona Maria António, por exemplo, casada e mãe de quatro filhos, o Natal é uma época de confraternização e de muita alegria.
Para ela, assim como toda família cristã católica, o verdadeiro Natal é a comemoração do nascimento de Jesus Cristo, que viveu e morreu por todos nós.
“Por isso, o habitual é começarmos o dia do Natal com a missa do galo”, disse.
Ela contou-nos que, normalmente, a ceia de Natal é sempre realizada em sua casa, nos arredores da Mutamba, em Luanda, com os filhos e netos.
“Mas no ano passado resolvemos estender para os irmãos e suas respectivas famílias e devo confessar que apesar do cansaço foi engraçado e muito melhor”, conta.
Questionada sobre a diferença que nota entre o actual Natal e os anteriores, afirma que é a falta de cabaz.
“Para ser franca, o Natal na minha família vai ser igual, pois teremos comida na mesa e saúde e é o que mais importa. Claro que a falta de cabaz é uma diferença, mas não assustadora. Para mim, é uma experiência diferente receber um cartão. É uma nova experiência que pode ser melhor ou até não, mas em nada assusta”, confessa.
Na ocasião, conversamos com Rossana Machado, filha caçula de Maria António, que disse, entre risos, que considera o Natal um momento emocionante e parece que as famílias ficam mais unidas e mais felizes.
Ela também disse que espera passar o Natal com a sua família, e que haja muita bebida e comida”. Eu considero o Natal uma época muito fofa. As luzes, as músicas é até mesmo as pessoas na rua ficam muito mais felizes e mais aconchegantes. Por isso quando vejo chegando o Natal fico muito emocionada”. afirmou

Celebração do Natal em Angola
No nosso país, a época natalícia começa já em meados do mês de Novembro com a preparação da árvore de Natal e decoração da casa. Nas ruas, e principalmente na baixa de Luanda, no princípio de Dezembro já se começa a sentir toda a emoção contagiante do Natal. É visível de igual modo o brilho das luzes de Natal, o brilho nos sorrisos das pessoas na rua, o espírito de solidariedade que aumenta, assim como a azáfama e a confusão, anunciando a época.
Depois na véspera do Natal, a escolha dos presentes, para o amigo oculto, que culmina com as compras para a consoada da noite do dia 24 para o 25, o almoço de Natal, e o melhor de tudo, com a família reunida.
Enfim, não importa onde cada um esteja, se a família é grande ou pequena, se está completa ou se tem gente longe, se vai ter presente, bacalhau na mesa, ou simplesmente um abraço. O Natal é uma festa.