A administração do Lubango (Huíla) vai trabalhar em 2020, na elaboração do Plano Director Municipal para o Turismo, pois, a região tem potencial e pode ser uma grande fonte de arrecadação de receitas. Segundo o administrador local, Armando Vieira, esta acção poderá se repercutir para o desenvolvimento socioeconómico do município do Lubango, que por sinal, é a capital da província da Huíla. O ordenamento do território também vai continuar a ser prioridade em 2020, além da actualização do plano director municipal já elaborado. “Queremos actualizar os planos urbanísticos e daremos prioridade aos bairros da Tchavola, Kwaua e Tchituno”, referiu. Adiantou que, em 2020, o saneamento básico vai continuar a ser também a “grande” prioridade da administração municipal do Lubango, e apelou a comunidade a participar no processo de melhoria do saneamento básico da cidade do Lubango.

Mais organização
Destacou a reflexão para melhor a problemática das terras para o uso agrícola, habitacional, como para a implementação de infra-estruturas com vista a impulsionar o desenvolvimento. Anunciou a realização, nos primeiros meses de um fórum abrangente parta discutir o desenvolvimento do Lubango. O Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), merecerá da administração municipal todo apoio institucional que se impõe. O saneamento básico, a gestão dos resíduos sólidos constituíram prioridade da administração municipal do Lubango. Encorajou o pessoal que esteve envolvido no trabalho de limpeza e recolha de resíduos sólidos.

Balanço
O Programa Integrado de Desenvolvimento Rural de Combate à Fome e à Pobreza registou um desembolso de mais de 255 milhões de kwanzas, com uma execução de 84,17%, no município do Lubango, província da Huíla. O administrador municipal, Armando Vieira, informou que a previsão do orçamental do programa de combate à pobreza era inicialmente de mais 302,9 milhões de kwanzas e teve um desembolso de mais de 255 milhões, e com o montante foi possível implementar uma série de projectos com destaque para a reabilitação do sistema de água da comuna da Huíla. No local, informou, foi colocado um posto de transformação (PT), o que permitiu fornecer também energia eléctrica ao sistema de água, que era alimentado com energia de gerador, o que permitiu fornecer
água com mais regularidade. Com o mesmo valor, referiu Armando Vieira, reabilitou-se a estrada terciária entre o desvio da estrada nacional 105 até a sede da povoação da Napanda, numa extensão de 14,5 quilómetros. Armando Vieira acrescentou que com o montante, foi ainda possível reabilitar o tanque banheiro, manga de vacinação, casa para os técnicos, sistema de água, jango comunitário dentre outros, na povoação da Napanda, comuna da Huíla. Disse que foi igualmente possível a construção de um pequeno sistema de água no bairro da Tchavola e a recuperação de outros nos bairros do Ferrovia, Eiva e Tchioco, arredores da cidade do Lubango. Informou que foi possível equipar várias escolas com mobiliário as escolas do bairro Nambambe e da 2 de Março, no bairro da Mitchia. Relativamente ao Programa de Investimentos Públicos (PIP) informou que a administração municipal do Lubango, com os recursos que recebeu em 2019, conseguiu reabilitar 16 quilómetros de estradas secundárias e terciárias internas dos bairros “A Luta Continua”/ Ferrovia, Mercado do João de Almeida/Mitchia/Mercado do rio Nangombe/Escola de Sargentos.