O director-geral do Instituto Superior Politécnico Metropolitano de Angola (IMETRO), Luís Kandjimbo, disse que a instituição que dirige vai apostar cada vez mais na formação de docentes para elevar os níveis de ensino.

Em entrevista ao JE, Luís Kandjimbo revelou que, para este ano, estão matriculados mais de 60 professores no curso de Agregação Pedagógica e Aperfeiçoamento Docente (CAPAD), numa iniciativa que vai já na sua sexta edição.
Mais de 100 professores internos e externos foram formados na quarta e quinta edição do Capad.
Além da actualização das competências pedagócicas dos docentes, a instituição vai apostar igualmente na investigação científica, bem como no desevenvolvimento de linhas de pesquisa, na área de educação, medida que visa contribuir para o crescimento económico, político e social do país.

Cursos
Actualmente, o Imetro despõe de um total de 17 cursos, com destaque para o cinema, TV, arquitectura, urbanismo, bem como planeamento regional e urbano.
Até 2016, a instituição de ensino superior colocou no mercado perto de 700 licenciados, distribuídos nas diferentes áreas.
A conjuntura económica que o país tem vindo a registar nos últimos tempos forçou a desistência de muitos estudantes a nível do ensino superior, situação que também afectou o Imetro.
Até Dezembro de 2016, a instituição registou uma taxa de adesão na ordem dos 90 por cento, ao passo que a desistência rondou aos 8 por cento.
Por isso, frisou, entre as estratégias para este ano consta manter o preço da propina, na ordem do 31 mil kwanzas por mês, para não afectar a vida dos estudantes.

Metas
Para este ano, a instituição pretende maissificar a investigação científica, através da criação de linhas de pesquisa, capazes de responder às necessidades do mercado nacional.
Numa primeira fase, a aposta revai para a área da educação.