Um dos pressupostos para se atingir o pleno desenvolvimento socioeconómico do país está assente no fomento e alargamento da base produtiva e da indústria transformadora nacional.
Para se atingir estas metas, o PND prevê a elaboração e implementação do Plano de Desenvolvimento Industrial de Angola. Está também em forja, neste período, o fomento e a criação de cadeias produtivas nos sectores prioritários, promovendo “uma boa interligação com sectores ajusante e a montante”.
Está igualmente em forja a facilitação dos processos de implementação de novas unidades industriais para empresas já instaladas em Angola, e continuar o processo de requalificação da indústria têxtil nacional.

Sector em destaque
O PND vai privilegiar ramos produtores da agro-indústria e agro-pecuária, medida que visa o reforço do cluster alimentar, nomeadamente priorizar a produção agrícola adequada à indústria, em qualidade e quantidade, com vista a garantir o abastecimento da população, reduzindo as importações e fomentar as exportações.
Neste contexto, pretende-se garantir a cobertura das necessidades domésticas em produtos como o sabão de 31 por cento para 65, açúcar de 19 para 64, farinha de trigo de zero para 64, leite pasteurizado de 10 para 43, massas alimentares de zero para 73, sumos, refrigerantes e cerveja em 100. Prevê-se também, a transformação de carne de 4 por cento para 13, cimento 100, varão de aço de 60 para 92 e tubo de aço de 54 para 61.
Está também plasmado na estratégia de governação para o período 2018/2022, acções com vista à formalização de toda a actividade industrial, com enfoque no apoio às actividades industriais de cariz artesanal, visando o seu enquadramento, tanto nos apoios institucionais existentes, como a sua inserção no sistema fical.
Será dada especial atenção a implementação do Programa de Apoio à Pequena Indústria Rural (PROFIR) e do Programa de Recolha e Valorização da Sucata ferrosa e não ferrosa (PROSUCATAS).
Neste período serão cocluídos os processos de privatização de empresas industriais sob tutela do Estado. As metas do sector visam a promoção da descentralização e desconcentração industrial, através da construção e operacionalização de pólos de desenvolvimento industrial e zonas industriais em todas as províncias.