Os empresários do Reino de Marrocos estão interessados em investir em Angola nos sectores dos minérios, Finanças, Agricultura, Telecomunicações e Energias renováveis, segundo garantiu o vice-presidente da Confederação Geral das Empresas de Marrocos (CGEM), Moulay Elalamy.
Durante um encontro com jornalistas angolanos, na cidade de Rabat (Marrocos), o responsável precisou que o mercado angolano apresenta várias oportunidades de negócio que o seu país pretende explorar.
“Temos poucos investimentos em Angola, por isso a intenção é alargar esta cooperação existente entre os dois países em outras áreas de actividade com a missão de criar empregos e gerar riqueza”, disse.
A fonte considera que um dos entraves que pode constituir obstáculos às exportações marroquinas tem a ver com a burocracia no processo alfandegário.

Estudo de mercado
O responsável sublinhou que depois da África do Sul, Marrocos é o segundo maior investidor no continente africano, assegurando que a aposta em qualquer mercado carece de estudos de viabilidade.
Moulay Elalamy realçou que que um dos aspectos fundamentais dos investimentos marroquinos em qualquer país prende-se com a estabilidade política.
A Confederação Geral de Empresas de Marrocos congrega empresas privadas marroquinas que junta 33 federações de três regiões.
A Cgem dispõe também de 17 escritórios de representações e representa 55 do Produto Interno Bruto (PIB) e emprega mais de três
milhões de trabalhadores.

Reformas estruturais
Durante a visita de estudo de cinco dias em Marrocos, a reportagem do JE constactou que o país está a realizar um conjunto de reformas estruturais com o fito de desenvolver sectores chaves como o turismo, pescas, automóvel, têxtil, aeronáutica e indústria transformadora.
O sector automóvel por exemplo, representa a primeira fonte de divisas do país, com uma produção anual de 400 mil carros. O JE soube que está ainda para breve a abertura de uma segunda fábrica automóvel em parceria com o gigante asiático, Coreia do Sul.
De acordo com dados recentes do Centro de Controlo Cambial Marroquino, o país atraiu quase 2,57 mil milhões de dólares de investimento estrangeiro directo em 2017, mais de 12 por cento em relação a 2016.
Além disso, em 2017 foi das economias mais atraentes para investimentos com destino para o continente africano.

Fórum empresarial
Angola/Marrocos
acontece em 2019

Angola e Marrcos estão a preparar para o I trimestre de 2019, um fórum económico, em Luanda, que vai juntar empresários dos dois países.
Segundo avançou o vice-presidente da Cgem, a intenção não é apenas propor serviços e empresas marroquinas, “os homens de negócio angolanos também estão convidados a investir em Marrocos”.
Explicou que o ambiente de negócios no seu país é favorável, os procedimentos de investimento são claros e há algumas vantagens fiscais que um
investidor pode beneficiar.
Esclareceu ainda que Marrocos dispõe de importantes portos estratégicos que facilitam a entrada e saída de toda a produção.

Visita oficial
Segundo disse é com grande expectativa que a classe empresarial de Marrocos aguarda uma possível visita oficial do Presidente João Lourenço, ao Reino de Marrocos.
“Pertencemos ao mesmo continente, somos países irmãos e as relações económicas podem ser reforçadas com a visita dos dois estadistas.”, enfatizou.
Em Angola, Marrocos tem investimentos no sector aéreo com a companhia de bandeira, Air Maroc e nos seguros com a Saham Angola Seguros.
Marrocos pertence ao grupo de países emergentes, com um sistema económico misto. Desde 1993 o Governo seguiu uma política de privatização das empresas públicas, bem como a liberalização de muitos sectores.