A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX) registou, até Março deste ano, 93 projectos de investimento privado, o que representa cerca de 750 milhões de dólares e poderá gerar milhares de empregos na fase de implementação.
Os dados foram avançados recentemente, em Luanda, pelo presidente do Conselho de Administração da AIPEX, Licínio Vaz Contreiras, tendo acrescentado que o objectivo é atrair cada vez mais investidores para sectores prioritários que diversificam a economia e promovam as exportações.
“A nível externo, países como a China e Portugal estão na linha da frente”. Em África, a Eritreia tem sido o principal investidor no mercado angolano com quatro projectos”, precisou.
Sublinhou que um dos grandes desafios da instituição é a captação de investimentos das principais economias africanas, como África do Sul, Marrocos, Egipto e Nigéria.“O foco é a aposta na Agricultura, Pescas e exportação de minérios desde que não seja o petróleo e diamantes”.

Entraves
Licínio Contreiras disse que os principais constrangimentos prendem-se com a falta de capital humano qualificado,estradas e energia.
Porém, acresceu que está a ser solucionado o problema das cadeias produtivas, a problemática da venda por parte do Estado aos empresários nacionais, assim como a protecção aduaneira às indústrias nascentes com base na Nova Lei do Investimento Privado.
Relativamente aos destinos dos investimentos, Luanda concentra 71 por cento do número de pedidos de registo de novas propostas, seguida das províncias do Bengo com 10, Malanje com 7,0 e Benguela com 4,0 por cento, de acordo com os dados estatísticos da AIPEX no período entre Agosto de 2018 e Fevereiro de 2019.

Indústria em alta
De acordo com um documento da Aipex, o ramo industrial representa cerca de 50 por cento do volume de investimento registado, com destaque para a indústria alimentar dos lacticínios, massa alimentar, massa de tomate e bebidas, seguida da agricultura e das pescas com 21 e 10 por cento, respectivamente.
Por outro lado, os sectores da Saúde, Hotelaria e Turismo são os que menos propostas de investimento têm recebido, seguido das Pescas, Prestação de Serviços e Educação. As áreas como a Indústria e Comércio têm sido a preferência dos investidores.
O documento esclarece que os investimentos registados têm origem diversa, mas continua-se a verificar maioritariamente propostas de origem interna, num total de 29 o que corresponde a 49 por cento registadas neste perído no valor de 228.3 milhões de dólares.
Dos investimentos de origem externa destacam-se os provenientes da República Popular da China com seis propostas de investimento, avaliados em 56.5 milhões de dólares.
Contudo, a AIPEX quer que o investidor privado tenha um bom ambiente de negócios no país, com vista a melhorar a situação económica.
A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações é uma pessoa colectiva de direito público, dotada de personalidade jurídica, autonomia administrativa, financeira e patrimonial, vocacionada para a promoção das exportações e captação de investimento privado.
A sua missão é registar propostas de investimento, apoio institucional e acompanhamento da execução dos projectos de investimento e internacionalização das empresas.