De acordo com dados do gabinete provincial da Indústria, as unidades transformadoras estavam instaladas em todos os municípios produtores de café, com a instalação de fábricas de descasque em todas as fazendas, bem como as fábricas de óleo de palma. Nas zonas de maior densidade florestal estavam instaladas serrações de madeira de grande porte. As panificadoras estavam igualmente confinadas em todos os municípios.
Não há dúvidas que a província é rica em minerais, com destaque para o ferro, cujas maiores concentrações estão localizadas no município de Cambambe, comuna de Dange-ya-Menha, nos morros de Cassala e Kitungo, cujas quantidades estão por determinar. O manganês encontra-se no Cazengo (zona de Camoma), e Cambambe (comuna de Zenza-do-Itombe), aonde localizam-se as maiores concentrações da província.
O mármore e o Cal encontram-se em grande escala nas localidades do Zanga (Cazengo) e em Samba Lucala (Samba-Caju), pelo que todo o curso do rio Lombigi é potencial depósito de ouro existindo igualmente indícios nos leitos dos rios Kwanza e Lucala. Outros minerais como o bauxite, o talco, o quartzo e os diamantes existem igualmente na província.
Os pólos industriais do Lucala e Cambambe, na província do Cuanza Norte, abertos e lançados em finais de 2016 e que previa o desenvolvimento socioeconómico desta região do país, a julgar pelo valor do investimento e pelas fábricas a serem montadas nos mesmos, encontram-se limitados à dificuldades financeiras dos seus operadores.
Orçados, inicialmente, em 30 e 50 milhões de dólares cada um dos mesmos empreendimentos enquadrou-se no projecto do Governo Central que visou o relançamento da indústria transformadora do país.MF