Os municípios e as cidades de Angola voltam a expor as suas potencialidades, socioeconómicas e culturais na presente edição da Feira dos Municípios e Cidades a ter lugar de 6 a 9 do corrente nas instalações da Filda em Luanda, numa organização do Ministério da Administração do Território (MAT).


A primeira edição da Feira dos Municípios e Cidades de Angola (FMCA2013), realizada entre os dias 3 a 6 de Outubro de 2013 mostrou quão é imensa a diversidade cultural, económica e social das localidades do país e do potencial que as mesmas ostentam no mosaico nacional e além fronteira.

Durante quatro dias os municípios e cidades terão novamente a oportunidade de expor todo o seu potencial. Como afirmou o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, de que ‘A vida faz–se nos municípios’, que é novamente o lema da presente edição do certame.

Nesta perspectiva, a primeira Ferira dos Municípios e Cidades de Angola foi também um grande espaço dinâmico de interacção entre os administradores municipais e proporcionou uma grande interacção entre estes e os vários públicos que se deslocaram às instalações da Filda.
No seu agregado, foram 161 municípios das 18 províncias de Angola que tiveram o beneplácito de mostrar a diversidade cultural, alimentar, produtiva, assim como as oportunidades que estes têm para proporcionar o desenvolvimento socioeconómico.

Maior interacção
Especialistas angolanos em matéria de economia regional e urbana, disseram que a primeira Feira dos Municípios e Cidades de Angola criou um grande espaço dinâmico de interacção entre os administradores municipais, enfatizando que ‘são poucas as vezes que 161 administradores municipais de Angola se encontram num único espaço para tomar conhecimento de situações que ocorrem nas outras circunscrições e interagir sobre os problemas que afligem as populações’.

Os peritos realçam, no entanto, a afluência dos cidadãos que acorreram ao recinto da Feira Internacional de Luanda (FIL) para tomar conhecimento aprofundado não só geográfico dos municípios, mas também das suas potencialidades, oportunidades de negócio e promoção do investimento para o desenvolvimento local’.

Por seu turno, os representantes dos municípios presentes na primeira edição consideraram a realização do certame como uma oportunidade única que juntou as várias localidades. Foi também a oportunidade de muitos conhecerem a realidade de outros e trocarem experiência.

Investimentos
Dezenas de propostas de investimento e promoção de milhares de produtos comerciais, culturais e turísticos representaram o saldo da 1ª Feira dos Municípios e Cidades de Angola (FMCA).

Durante quatro dias, a Feira Internacional de Luanda (FIL) acolheu empresários e expositores de 161 municípios, em busca de novas oportunidades de negócio para potencializar as suas infra-estruturas, melhorar a imagem e qualidade de vida.

A exposição, que decorreu em simultâneo com a Bolsa Internacional de Turismo de Angola (Okavango 2013), abriu novas perspectivas para regiões quase “anónimas”, cujos recursos minerais e económicos estão por explorar.

A Feira dos Municípios e Cidades de Angola, propiciou a apresentação da grande diversidade cultural, económica, turística e social das cidades e municípios locais.

Nesta exposição, os visitantes puderam conhecer desde produtos do campo, cultivados em todas as regiões do território angolano, a materiais dos serviços sanitários, de construção civil, educação e comunicação social.

Governos provinciais, administrações municipais, comunais, empresas do sector bancário, imobiliário, seguros, prestação de serviços comuns mostraram os seus produtos.

À margem da feira, foi realizado um fórum que abordou uma série de assuntos, dentre os quais “A seca no Sul de Angola e as soluções para o abastecimento de água potável”, “O funcionamento dos conselhos de auscultação e concertação social”, “Os grandes projectos urbanos e políticas de governação”, “A graduação de Angola de país menos desenvolvido ao país de desenvolvimento médio”.

A amostra, co-organizada pelo Ministério da Administração do Território e pela Feira Internacional de Luanda, responde a uma decisão conjunta da Commonwealth Local Government Fórum, Conferência Africana da Descentralização e Desenvolvimento Local e União das Cidades e Governos Locais de África, organizações da qual Angola faz parte.