As comemorações do início da luta armada de libertação nacional, assinalados no passado dia 4 de Fevereiro, que propiciou ao país à independência, em 11 de Novembro de 1975, este ano, foram marcadas com um conjunto de inaugurações de infra-estruturas socioeconómicas em todo o país.

Com estes importantes projectos, o Executivo angolano, quer continuar a manter a estabilidade política e social e fazer frente às actuais dificuldades económico-financeiras resultantes da conjuntura mundial.

Por exemplo, no município do Tômbwa, província do Namibe, a ministra das Pescas, Victória de Barros Neto, inaugurou uma fábrica com capacidade para produzir 90 toneladas de pescado e 500 de armazenamento.

A unidade, que conta com duas embarcações de 30 e 60 toneladas cada uma, vai capturar as espécies como a sardinha, cavala e o carapau. Numa primeira fase, o projecto vai empregar 150 novos trabalhadores, principalmente jovens desta vila piscatória.

Na ocasião, a ministra afirmou que o Executivo aprovou uma nova lei de investimento privado e que deve ser do conhecimento e do domínio dos industriais do sector de maneira a aproveitar os efectivos inseridos nestas instituições pesqueiras.

Salientou que o Ministério das Pescas criou a unidade técnica de apoio aos investimentos com objectivo de apoiar os operadores do sector em relação a banca nacional, procedendo a recessão do trabalho de validação dos projectos e investimentos e certificá-los para o financiamento da banca comercial na quadra da linha de crédito aprovado pelo Executivo para o apoio da agricultura, pecuária e pesca, sob gestão dos Bancos BCI, BPC e Sol.

Ainda no Namibe, o secretário de Estado da Construção, Alcides de Carvalho, inaugurou a ponte sobre o rio Giraul de cima. A infra-estrutura possui uma estrutura completamente pré-fabricada, com um total de 605,70 metros de comprimento, 8 metros de altura, duas faixas de rodagem e que liga as duas províncias do Namibe e Huíla.

Ainda no município do Tômbwa, o governador Rui Falcão, inaugurou uma escola de doze salas de aula do II Ciclo de ensino, com capacidade para albergar mais de 1.200 alunos em três turnos.

Agro-industrial
Já no Moxico, o governador provincial, João Ernesto dos Santos “Liberdade”, enalteceu o projecto agro - industrial de Camaiangala na diversificação da economia, o que contribui para o desenvolvimento socioeconómico da região.

O governante sustentou que o projecto vai gerar maior número de emprego aos jovens locais, que irão envolver-se no processo de combate à fome e redução da pobreza no seio da população.

Orçado em 70 milhões de dólares (10,8 mil milhões de kwanzas), a fazenda agro-industrial de Camaniangala está implantada numa área de 16 mil hectares, na confluência dos rios Cassai e Luxia e será transformada numa cadeia produtiva, com opção para o cultivo em grande escala de milho e arroz.

O lançamento das primeiras sementes de milho aconteceu em Novembro de 2013, com o cultivo de feijão, batata-doce e rena, amendoim, melancia, arroz, milho e hortícolas diversas, no sistema de irrigação e de sequeiro.

Cabinda destaca-se
Em Cabinda, o 55º aniversário do início da luta armada, foi assinalado com várias inaugurações de infra-estruturas escolares e sanitárias no município de Belize.

Presidido pela governadora de Cabinda, Aldina Matilde Catembo, foi inaugurada uma escola com seis salas de aula, na localidade de Viede regedoria de Ganda Cango, bem como no Kissoki/Luali ganhou uma escola com quatro salas de aula e 15 casas evolutivas no Conde.

Na localidade de Cungo Tadi, as populações locais beneficiaram de um novo posto de saúde, residência para enfermeiros e uma escola com quatro salas de aulas, bem como de um jango comunitário.

Mais água
Em Luanda, as populações viram melhorado o fornecimento de água potável, com a inauguração do centro de distribuição do distrito urbano da Maianga.

No acto, o secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, anunciou que os centros de distribuição de água do Marçal e Cazenga, em reabilitação, iniciam o seu funcionamento ainda no decurso do presente ano.

Deu a conhecer que estão também em curso trabalhos de melhoramento na estacão de Quifangondo, que considerou ser muito importante para a província de Luanda, tendo adiantado que já intervieram na do Quicuxi, bem como estão a reparar outras estações.
Concluiu que na zona da Barra do Kwanza entraram já em funcionamento em regime experimental as Estacões de Tratamento de Água na zona de Calumbo e Bom Jesus.

Por sua vez o presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas (EPAL-E.P), Leonídio Ceitas, explicou que o Centro de Distribuição de Águas do Golfe tem um reservatório de 15 mil metros cúbicos, bem como dois de 10 que só atingem metade da capacidade devido a problemas nas suas estruturas.

De acordo com Leonídio Ceitas, a reabilitação de ambos reservatórios e a construção de mais um a capacidade será reforçada na zona e será suprimida a dificuldade para os munícipes.

Circulação garantida
A Estrada Nacional 180A, que liga as cidades do Dundo à do Lucapa, na província da Lunda Norte, foi inaugurada, pelo governador da província, Ernesto Muangala.

Falando à margem da cerimónia de inauguração, o representante da empresa construtora Mota-Engil, Paulo de Matos, sublinhou que a rodovia possui 124 quilómetros de comprimento (Dundo/Lucapa) e 3,5 metros para cada faixa de rodagem e um metro de bermas. O governante afirmou que o empreendimento vai catalisar o desenvolvimento da região.