O sector dos Transportes pretende materializar várias actividades a si confiadas, tornando-o num dos vectores em prol do desenvolvimento económico e social de Angola.
Para o quinquénio, o sector tem como metas a conclusão de vários projectos estruturantes, entre os quais o novo aeroporto internacional de Luanda, em construção desde 2007, e que poderá ser concluído dentro de dois anos, podendo acolher até 15 milhões de passageiros por ano, sendo dez milhões do tráfego internacional e cinco milhões do nacional. Com 1.324 hectares, a nova infra-estrutura aeroportuária, tem integradas áreas de controlo de tráfego, instalações de apoio, zona de voos e terminais.
Está ainda em forja a construção, e reabilitação das infra-estruturas aeroportuárias de Mbanza Kongo, Cuito e Cabinda. Está também prevista a consolidação dos processos de refundação da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (ENANA) e da Transportadora Aérea Angola (TAAG).
No domínio ferroviário, a meta é a conclusão da recuperação do Caminho-de-ferro de Benguela bem como a extensão da rede ferroviária à Zâmbia.
Prevê-se também, a atribuição de concessões para a construção e operação de ramais ferroviários para grandes indústrias, complexos mineiros ou centrais de energia que sejam recuperados ou iniciados ao longo das vias férreas existentes ou a criar.

Parcerias público-privadas
Está salvaguardada a realização de parcerias estratégicas específicas com o sector privado no ramo marítimo-portuário. Neste segmento prevê-se desenvolver um política que promova o transporte marítimo de cabotagem e fluvial de passageiros e carga, a nível do país, plasmada num plano de negócios e numa perspectiva de redução das assimetrias regionais, melhoria da mobilidade e do aumento do rendimento das populações rurais ribeirinhas, envolvendo na sua implementação entidades privadas com tecnologia e capacidade.

Será concretizado o objectivo de relançamento do transporte marítimo internacional de bandeira angolana (Sécil Marítima), através de parcerias estratégicas .
Será incentivado e apoiado o sector privado na melhoria da oferta do transporte rodoviário de mercadorias, numa visão integrada com a rede logística das cadeias de abastecimento das populações e das empresas, promovendo a gestão das plataformas já construídas.
Serão concluídas as plataformas logísticas transfronteiriças de Santa Clara, Luvo, Kimbata, Massabi, Yema e do Luau. Está prevista também a conclusão da rede de cabotagem do Norte de Angola com a ligação Cabinda/Zaire/Luanda.
Pretende-se também iniciar a construção do porto da Barra do Dande e o de águas profundas de Cabinda.