Desde ontem, terça-feira (16), até ao próximo domingo (21), os mais de mil expositores, entre empresas e particulares, que participam da trigésima edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA) esforçam-se em apresentar aos visitantes desta maior bolsa de negócios de Angola o melhor que há no seu vasto leque de produtos e serviços.

Bancos, seguradoras, construtoras, operadoras de transportes, telecomunicações e de outros sectores promovem na Filda a gama de produtos e serviços disponíveis para o mercado. Nesta edição, o país estreante é a Tailândia. O espaço de exposição reserva seis pavilhões, um a mais do que no ano passado.

Inaugurada pelo governador da província de Luanda, Bento Sebastião Bento, a 30ª edição da Filda constitui-se numa nova oportunidade para promoção dos investimentos, além de assumir-se como plataforma de contacto entre os investidores locais e os estrangeiros.

Conforme disse o governador Bento Bento, a presente edição da Feira Internacional de Luanda reflecte o actual momento de desenvolvimento do país, constituindo-se, por via disso, num motivo de orgulho para as entidades da cidade e seus citadinos.

"À semelhança dos anos anteriores, o evento que hoje (terça-feira) teve início apresenta-se como uma grande oportunidade para fazer negócios e estabelecer parcerias empresariais”, disse.

Bento Bento aproveitou a ocasião para apelar aos luandenses para não perderem o que considerou ser uma oportunidade ímpar de ver o que no país se faz de melhor, bem como o que o mundo tem para “nos mostrar”.

Dia da Alemanha e da África do Sul
Os expositores da África do Sul e da Alemanha assinalam hoje (quarta-feira), na Feira Internacional de Luanda (FILDA), o dia dedicado a si, pela organização do evento.

Os embaixadores dos dois países deslocam-se ao recinto da Filda para prestigiar a cerimónia, de acordo com o programa da organização, a que a Angop teve acesso.

Ainda no quadro das celebrações, a operadora de telefonia móvel Unitel também assinala hoje o seu dia na exposição.

Completa o programa do dia a realização do seminário sob o tema “Mesa de negócios prestígio” e o lançamento do mundial de hóquei em patins, que o país vai acolher em Setembro nas cidades de Luanda e Namibe.

Os ramos de actividade económica representados são agricultura, petróleos, alimentação, máquinas, equipamentos, tecnologia, construção civil, metalomecânica, motores e veículos.

Estarão, igualmente, presentes os sectores da educação, electrodomésticos, utilidades domésticas, calçados, têxtil, energia, infra-estruturas, telecomunicações, automação, engenharia civil, construção de sistemas e comércio.