Leventaram-se muita sobrancelha quando Moçambique se juntou ao Commonwealth britânico em 1995, por ser um país de expressão portuguesa. No entanto, ser membro duma organização não exclui o país da outra.
Alguma imprensa local, na altura, escrevia a adesão de Moçambique à Commonwealth como acto de soberania e afirmação internacional
Escrevia-se, nunca Portugal reagiria de forma tão dramática e paternalista em relação às ex-colónias como agora que Moçambique decidiu aderir à Commonwealth.
Diziam que viam como um acto de resto legítimo de um Estado soberano e independente e que Portugal não estava isento de culpas no processo que conduziu Moçambique a aderir à comunidade de língua inglesa. E elencou-se duas importantes razões:
1º - Moçambique precisava de refazer o seu tecido social e para que tal se concretizasse era necessário um maior e melhor apoio económico que permitisse depois um desenvolvimento mais acelerado com resultados imediatos e que Portugal não poderia garantir naquele momento;
2º- Como país independente e soberano tinha necessidade de se afirmar no panorama internacional até para renovação de uma imagem algo desgastada pela guerra e tinha também o direito de tomar o rumo que achasse certo para o bem do seu povo. E alertavam que não se tratava pois de substituir o português pelo inglês.
Ainda outros argumentos produzidos diziam que como se podia facilmente verificar o governo moçambicano nunca pensou em substituir o português pelo inglês. Como se poderia implantar o uso de uma língua sem antecedentes históricos na população? Com que recursos? E quem apoiaria essa medida? Quanto tempo levaria a implementar-se? Quantos moçambicanos estariam dispostos a deixar de escrever por decreto em português para passarem a fazê-lo em inglês? Não se estaria a fomentar a cisão entre os moçambicanos? Enfim, só os portugueses insistem em ser cegos quando deviam passar das palavras à acção. Como se pode depreender , a adesão moçambicana criou ciúmes a Portugal mas os moçambicanos há 23 anos preferiram experimentar outras soluções para catapultar a sua economia.