Mais de 600 pequenos empreendedores procuram legalizar as suas actividades comerciais feitas, na sua maioria, a “céu aberto”, no âmbito do processo “Operação Resgate” que iníciou a 6 de Novembro do ano em curso.
A reportagem do JE fez uma ronda na cidade do Luena e constatou que o processo, organizado em todos e a todos os níveis, tem surtido efeitos, sobretudo no campo do resgate dos valores éticos e morais.
A chefe da Secção do Comércio Hotelaria e Turismo, Ivone Paula, em entrevista ao JE, mostrou-se surpreendida com a forma como os cidadãos têm correspondido, na busca da legalização das actividades e no abandono dos locais impróprios, onde alguns deles exerciam o comércio.
Segundo a responsável, são atendidos diariamente dezenas de pessoas e, até à presente data, mais de 100 processos foram cadastrados, de um total de 600 registados.
Apesar das constantes falhas registadas no sistema, Ivone Paula mostrou-se satisfeita com o comportamento responsável demostrado pelos agentes económicos na provincia do Moxico. Antes era um “bicho-de-sete-cabeças” fiscalizar o ambulante. Mas, hoje o cidadão é quem toma a iniciativa de se legalizar.”