Durante a sua dissertação no sexto Conselho Consultivo do sector diamantífero, o Secretário de Estado fez saber que o Pólos de Desenvolvimento do Sector Mineiro têm previstas, entre outras prioridades, a criação de grandes reservas provadas de diamantes, a redução das assimetrias regionais, bem como a geração de sinergias para obtenção de vantagens competitivas no sector.
Para o secretário de Estado, o Pólo de Desenvolvimento Mineiro vai privilegiar o reconhecimento e prospecção de depósitos aluvionares e kimberlitos, além da elaboração de mapas geológicos do potencial diamantífero do país, bem como a exploração de depósitos aluvionares e kimberlitos, aliados à criação de condições e incentivos para a capacitação de parcerias.

Estado actual

No domínio da prospecção, o governante sublinhou que actualmente o sector conta com o concurso da consultora Russa Alrosa, que se ocupa ao estudo geológico e mapeamento do sector com realce para as zonas de Luangue (Lunda Norte) e Luaxe(Lunda Sul).
Já na prospecção secundária, a diamantífera angolana conta com parceria de várias empresas nacionais e estrangeiras.
A Endiama Mining participa do capital social das sociedades mineiras na exploração de Kimberlitos e Aluviões. Já como operadora do sector actua nos projectos de Cambange.

Localização

Quanto à localização, o consultor do Ministério de Geologia e Minas, Paulo Niva Tanganha, sublinhou que estão identificados três Pólos de Desenvolvimento Mineiro, nomeadamente, o Projecto de Exploração de Fosfato nas províncias de Cabinda e Zaire, o de exploração de Ferro nas províncias do Cuando Cubango, Huíla e Cuanza Norte, bem como os projectos de exploração de rochas ornamentais nas províncias da Huíla, Namibe e Cuanza Sul.
De acordo com o responsável, a sua implementação passa fundamentalmente por seis fases principais, nomeadamente, a criação das condições básicas, formalização, atracão de operadores, criação de capital de conhecimento, maturidade, declínio e renovação. Quanto aos modelos de financiamento, sublinhou que pode ser por via da parceria público-privada.
Segundo avançou, o Pólo de Desenvolvimento (PD) consiste na concentração geográfica e sectorial de empresas em diferentes fases da cadeia de valor e actividades de suporte e outras instituições interligadas e cooperantes, centros de formação e unidades de pesquisa e desenvolvimento, a partir das quais são geradas sinergias e aumentos de eficiência, com base em projectos assentes em inovação e colaboração entre diferentes empresas, visando obter vantagem competitiva regional na área de actuação.
Dados saídos do Conselho Consultivo dão conta que os Planos de Desenvolvimento vão ser alocados nos arredores da cidade de Saurimo, no raio de influência do Kimberlito de Luele, concessão do Luaxe. Já o segundo está previsto para a Vila do Cafunfo devido ao potencial dos Projectos do Cuango, Lulo Luminar e Centenas de Kimberlitos.

Factores de sucesso

O consultor do Ministério, Paulo Tangonha, ressaltou a mão-de-obra qualificada, a criação de infra-estruturas, integração dos trabalhadores nos projectos comunitários, fomento da agricultura, prioridade às compras locais e incentivo à abertura de instituições bancárias, além da definição de regras e criação de condições legais para a atracção de investimentos. Por sua vez, o director-geral do Cinfotec, Gilberto Figueira, aproveitou a ocasião para explicar que a sua instituição pode formar
quadros do sector de minas.