Os preços de produtos e serviços têm constituído um dos principais motivos de preocupação dos cidadãos, tal é a volatilidade que os mesmos registam. Atitudes oportunistas têm caracterizado uma franja de fornecedores de produtos e serviços que, em situações de carência, adoptam como medida imediata a subida do preço dos bens de primeira necessidade.

O Executivo angolano, através do Ministério das Finanças, vem demonstrando uma grande preocupação com o fenómeno e para fazer face e prevenir ocorrências futuras definiu um conjunto de produtos sujeitos a um regime de preços vigiados. O JE foi à rua para aferir o comportamento dos preços dos principais produtos da cesta básica. O destino estava traçado e era hora de arregaçar as mangas e percorrer cerca de 30 kilómetros que nos levariam até a um dos mais frequentados e conhecidos mercados da cidade de Luanda. Numa viagem tranquila e até agradável em função dos muitos motivos de interesse que se vai encontrando ao longo do caminho e da visível e louvável melhoria que se tem estado a operar no estado do pavimento, cerca de trinta minutos consumidos e já vislumbrávamos a aproximação ao gigante do comércio informal. A azáfama é percebida logo ao abandonar o asfalto e seguir a estrada de terra batida que nos levaria então ao destino traçado. O objectivo era conferir os preços dos produtos no interior do mercado, mas foi impossível fazermos vista grossa ao facto de o comércio de bens e serviços ser visível durante o percurso. Um sem número de jovens oferecem aos seus serviços para companhia e apoio durante a jornada que normalmente tem como objectivo a aquisição de produtos alimentares com maior incidência sobre aqueles vindos do campo e que em determinados períodos do ano registam abundância nos vários mercados e estabelecimentos comerciais da capital angolana. No interior do mercado que a olho nu apresenta melhorias significativas, fruto do investimento que está a ser feito pelo governo local na melhoria das infra-estruturas, com a colocação de alpendres que indiscutivelmente garantem maior comodidade às centenas ou mesmo milhares de vendedores, a oferta de produtos no mercado do km 30 regista uma enorme variedade que vai desde animais vivos à carne de caça e desde os produtos do campo aos derivados da importação. Cada um se esmera para ganhar a preferência dos clientes que invariavelmente apelam para a redução do preço anunciado. A nossa reportagem registou com agrado a redução no preço de alguns produtos, como é o caso da batata rena que vendida em baldes conheceu nesta semana uma redução de 1.300 para mil kwanzas o balde pequeno, indicador de que a aposta na agricultura está a produzir efeitos positivos com reflexo nos preços.