A primeira Conferência Internacional sobre Promoção de Investimentos para a província de Malanje, que decorreu nesta província, de 21 a 23 de Outubro, recomendou o levantamento rigoroso pela Unidade Técnica de Apoio ao Investimento Privado (UTAIP), das reais necessidades dos investidores para as melhores condições na promoção do investimento na província.

O certame, que decorreu sob o lema “Malanje, investir para aceleração da diversificação da economia”, apelou igualmente à necessidade da estabilização e lançamento de um guia do investidor que constitua uma plataforma partilhada de crescimento e criação de valor.

Num ambiente de negócio, com mais de 300 participantes, foi recomendada a necessidade de se dar incentivo, com maior enfoque na promoção da cultura, também enquanto indústria e oportunidade de negócio.

A compilação e produção de uma brochura que sintetize as prelecções da conferência que permita uma melhor compreensão das mensagens saídas foi igualmente recomendado na primeira Conferência Internacional sobre Promoção de Investimentos.

A Conferência Internacional sobre Promoção de Investimentos para a província de Malanje concluiu a importância da promoção do investimento como motor de aceleração da diversificação da economia, a existência de condições para um ambiente económico fiscal e administrativo favorável ao investimento, com destaque à Nova Lei do Investimento Privado e às alterações ao quadro legal do investimento privado em Angola.

A existência de condições preferenciais para o investimento na província de Malanje, com destaque para a agricultura, indústria, infra-estruturas, plataformas logísticas, energia e águas, transportes e comunicações, turismo e hotelaria fizeram parte das conclusões do evento.

Na abertura do certame, presidido pela ministra do Comércio, Rosa Pacavira de Matos, falou da necessidade de o país criar maior atractividade e melhores condições para a promoção do investimento, nomeadamente nos esforços de desenvolvimento de sectores cujas matérias-primas exigem maiores componentes de transformação, na medida em que serão geradores de emprego e criadores de valores para a economia. “É através do esforço conjunto de diversos sectores que permitirá ganhar competitividade nacional, contribuindo para a intenção de se encontrar maior equilíbrio da balança comercial, reduzindo as importações e aumentando as exportações”, referiu Rosa Pacavira.
Neste contexto, prosseguiu, face à necessidade de promover o investimento noutros sectores de actividade, disse, com a aprovação da Nova Lei do Investimento Privado, o Governo angolano torna mais simples e ágil a atraccão de negócios para o país. Na mensagem de boas vindas, proferida pelo governador provincial de, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, o governante destacou a relevância da conferência e o seu contributo para os esforços de diversificação da economia nacional. Reiterado do discurso do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na mensagem sobre o Estado da Nação, “Kwata Kanawa” referiu que “a estabilidade da economia angolana tem sido perturbada pelos vários focos de incerteza que surgiram a nível internacional e que têm afectado negativamente o preço do petróleo bruto, em virtude de um desequilíbrio entre a oferta e a procura nos mercados”, citou.

Na conferência foram debatidos temas como “Economia e negócios em Angola”, onde foram abordados assuntos ligados à “Economia e ambiente de negócio e a nova Lei do Investimento Privado, APIEX e a estratégia nacional de exportações, o papel da Unidade Técnica para o Investimento Privado na política do investimento em Angola, plano de desenvolvimento
do sector de energia e águas.

No segundo painel, foi debatido o tema “ Malanje, potencialidades e oportunidades de investimento”, onde os assuntos discutidos foram: Malanje potencial económico e oportunidades de emprego, guia do investidor para a província, agronegócio e indústria, potencial agrícola e o Pólo agro-industrial de Capanda, mineração, o Planageo em Malanje e os projectos de diamantes na província, transporte e logística e a plataforma logística do Lombe, turismo e o Pólo de Desenvolvimento Turístico do Lombe.

O terceiro painel dedicou-se ao tema “Malanje: experiências de investimento”, com destaque para o projecto Biocom e os projectos Pedras Negras e Pungo-a -Ndongo, entre outros.