Pelo menos 80 milhões de dólares norte-americanos poderão ser arrecadados pelo Estado angolano com a privatização das primeiras sete empresas, de um universo de 52 unidades industriais instaladas na Zona Especial Económico Luanda-Bengo (ZEE).
O anúncio foi feito hoje pelo administrador do Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE), Gilberto Luther, por ocasião do lançamento do concurso público de privatização das sete empresas e apresentação a gestores públicos e empresários.
O concurso público, aberto oficialmente hoje, termina a 31 de Maio deste ano, e o IGAPE já recebeu propostas de investidores nacionais e estrangeiros que manifestaram interesse na aquisição.
O preço de venda das unidades industriais, segundo Gilberto Luther, vai de três a 18 milhões de dólares norte-americanos, mas o valor de cada uma deverá ser analisado em concreto.
O Estado nessa altura está a alienar as empresas Univitro, Juntex, Carton, Absor, Indugited, Coberlen e a Saciango. Destas apenas uma está em funcionamento, as demais nunca operaram desde a criação da ZEE, em Outubro de 2009, e possuem equipamentos.
A Univitro produz vidro e tem nesta altura 17 trabalhadores em situação regular. A Juntex está vocacionada à construção e distribuição de estruturas de betão, a Carton – cartolinas e caixas de cartão, a Absor- Fraldas e toalhitas, Indugited (produtos de higiene), Coberlen (Cobertores) e a Saciango – está vocacionada à produção de sacos para a indústria de cimentos e outras.