Os governantes provinciais e os administradores municipais, que participaram do V Fórum dos Municípios e Cidades de Angola, manifestaram o interesse em simplificar e aplicar a reforma do Estado para modernizar o serviço público e outras medidas que visam dinamizar o crescimento socioeconómico.
Para o governador do Zaire, Joanes André, estão em curso várias acções destinadas para dinamizar a vida nos municípios da província.
Segundo o governador, para o município do Cuimba, por exemplo, estão em curso a campanha de desminagem de vastos territórios para aumentar a produção agrícola.
Para o governador, a conclusão dos trabalhos que vão projectar a produção aviária da província de 150 mil aves e cerca de 12 milhões de ovos ano, constitui um dos principais desafios a nível local. Prevê-se igualmente, a produção de ração animal, destinada para melhorar a dieta alimentar das diferentes espécies de animais e aves.
O município do Cuimba foi escolhido para albergar a fábrica de óleo de palma, importante aditivo na dieta alimentar.
O governante assegurou total abertura para os interessados em investir “fora” do sector petrolífero de modo a gerar postos de trabalho e crescimento a nível local.
Questionado sobre a celeridade na atribuição de espaços para o investimento, o governador garantiu que, as administrações municipais estão orientadas a realizar as concessões inferiores a 10 hectares.
Por seu turno, o governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, revelou que a principal aposta será a melhoria das vias de comunicação, medida que contribuirá para melhorar a livre circulação de pessoas e bens.
“O nosso desafio passa pela melhoria das vias de comunicação, pois impulsionam o desenvolvimento”, destacou.
Para o governador do Uíge, Mpinda Simão, não é possível falar do desenvolmento dos municípios sem recursos humanos capazes de responder as necessidades dos municípios.
O governante considera priotária a qualificação da mão-de-obra local, e acredita que a criação das competências científicas assegura o bem-estar dos municípios e, constitui uma prioridade para se alcançar o tão almejado desenvolvimento.
Assegurou que a actuação dos gestores públicos ao serviço das administrações municipais constitui a mola impulsionadora para a reforma do Estado.
Na província do Uíge, a prioridade recai para os sectores que registaram pouco crescimento, tendo frisado que o destaque vai para a construção e reabilitação de infra-estruturas ligadas às vias de comunicação, urbanização, bem como à educação, para se alcançar estas metas.

Municípios estão presentes
O administrador do município de Caluquembe, na província da Huíla, José Arão, sublinhou que o fórum conferiu aos administradores municipais, ferramentas que conduzem a uma melhor tramitação dos diferentes dossiers ligados à vida pública.
José Arão garantiu tudo fazer para reduzir o processo burocrático na atribuição de espaços (terrenos) para o investimento, além de melhorar os serviços de identificação civil, dinamizar a formação profissional para garantir o crescimento económico do município.
O administrador revelou que tudo está a ser feito para que o município solucione a problemática do pagamento dos impostos, que actualmente vários contribuintes têm de percorrer longas distâncias.
O empreendedorismo também será um dos desafios, medida que poderá assegurar empregos aos jovens.
Por sua vez, o administrador do município do Cuango (Lunda Norte), Guilherme Cango, revelou que o sector diamantífero continua a ser a principal fonte de receitas para aquela localidade.
Questionado sobre as principais reformas para dinamizar o crescimento económico do município do Cuango, o administrador apontou a necessidade de se desenvolver um projecto de aquisição de balanças para o pagamento de portagens nas pontes.
Segundo avançou este segmento constitui uma importante fonte de receitas. Neste contexto, assegurou, será necessário encetar parcerias público-privadas.
O município do Cuango, na Lunda Norte é basicamente mineiro pelo que, a actividade mineira constitui a principal fonte de receitas. Para assegurar a sua exploração, o município conta com pequenas cooperativas de exploração diamantífera, que podem contribuir em grande medida na arrecadação de receitas para o município.
Por sua vez, o administrador do município do Luena (Moxico), Bento Paulino,disse que a região aguarda pela instalação de investidores nacionais e estrangeiros, tendo garantido celeridade na tramitação dos processos, assim como terrenos à altura das necessidades dos empresários interessados.