A Quinta de Jugais, empresa do ramo alimentar que se dedica à importação e venda de produtos derivados de carne, vai transferir brevemente para Angola a sua tecnologia para a produção local.
Segundo o director-geral da empresa Paulo Rocha, a firma está em Angola desde 2011, e neste momento está a construir na ZEE uma unidade industrial com o prazo de execução de um ano. “Pretendemos iniciar a produção dentro de um ano, pois, a recepção dos nossos produtos no mercado angolano é bastante positiva, por isso temos vindo a crescer ao longo dos anos”, disse o gestor, para acrescentar que a produção em Angola vai trazer outra notoriedade, porque vão baixar ligeiramente os preços dos seus produtos.
Paulo Rocha afirmou que, apesar da crise, já há alguns sinais positivos de recuperação não obstante o poder de compra da população ter reduzido substancialmente.
Para o gestor, a feira vai permitir aos operadores uma maior projecção da actividade, divulgação dos produtos e estabelecimento de contactos. “E como nos encontramos estabelecidos no mercado há alguns anos, estámos a explorar mais os clientes porque já trabalhamos, quer com os grandes distribuidores, quer com o comércio tradional”, disse.
“Queremos ter um ciclo completo que começa desde a produção animal até ao produto final. Estamos a desenvolver em Angola, um conjunto de explorações, agropecuário, e isso vai garantir a plena qualidade dos nossos produtos no mercado nacional”, finalizou.