O Xikila Money movimenta cerca de mil transacções bancárias/dia e abre, em média, 50 contas, e tudo através de um telemóvel a qualquer hora e lugar.
Neste momento, são já mais de 30 mil contas abertas e 25 por cento das transacções efectuadas por via de telemóveis (smartphone). as restantes 75 por cento ocorrem nas 150 quiosques de Luanda e outras 30 do Huambo.
A operar no mercado desde Março deste ano, o projecto pode dar-se ao gozo de ser o primeiro banco puramente digital no mercado angolano, daí que leva ainda a vantagem de estar ligado ao Banco Postal, que é uma parceria entre a Ensa, os Correios de Angola
e investidores particulares.
Só em Luanda, o Banco Postal tem possui quatro agências e 150 quiosques “Xikila Money” com agentes autorizados para dar resposta às inúmeras solicitações diárias. No Huambo está presente com uma agência.
Através de um número de telemóvel e apenas 100 kwanzas, o cidadão tem acesso a uma conta bancária e automaticamente fica habilitado a efectuar operações de levantamentos, pagamentos e transferências de dinheiro pelo interior do país sem necessitar de sair de casa. Neste momento, só não está disponível as transferências interbancárias (banco-banco).
Nos quiosques, o cliente pode depositar até 60 mil kwanzas ou levantar 40 mil. Quanto aos pagamentos, que podem ser feitos tanto nos quiosques quanto por telemóvel, é possível ajustar as contas de energia, água, serviços de televisão e efectuar uma compra a um estabelecimento desde que esteja também a usar os serviços desse banco.

Opinião do cliente

A equipa de reportagem do JE saiu à rua e constatou que estas novas ofertas têm vindo a conquistar cada vez mais utilizadores, pelo que não é de estranhar perceber que o crescimento da adopção da banca digital é, efectivamente, um dado adquirido.
É assim que para Hélio Henriques, estudante universitário de 26 anos de idade, é cliente do banco há mais de um mês. Ele que foi convencido a abrir a conta pelos agentes do banco e afirma que a experiência tem sido boa. “Na verdade, essa é a primeira movimentação que faço desde que abri a conta. Fiz agora um depósito, mas penso que a vantagem é mesmo de fazer movimentos em qualquer esquina, sem fila e sem perder tempo”.
Marcelina Costa, solteira e estudante universitária, disse que aderiu aos serviços do Xiquila money pela sua simplicidade. Ela, que é trabalhadora de uma tabacaria, aderiu aos serviços há dois meses e disse que, apesar de ainda não ter feito nenhum movimento, considera o serviço inovador e vantajoso.
“Penso que usar o Xiquila money é muito simples. Através de um telefone posso efectuar pagamento, consultar o saldo e até enviar dinheiro”.
Para Miguel Jamba, que vive maritalmente, com três filhos é zungueiro. Para ele, o Xiquila money é muito rápido e eficiente, pois consegue fazer os movimentos em sua conta em qualquer quiosque sem ter que esperar em uma fila de um banco.
“Para mim, é muito mais fácil, porque quando preciso de levantar ou depositar qualquer dinheiro, eu tenho na hora e em qualquer esquina. Estou a gostar muito.”
Já o Nicolau Capitão, solteiro de 29 anos de idade, aderiu aos serviços por estar a trabalhar mesmo ao lado de um quiosque.
“Eu trabalho numa cabine de Telo e bem ao lado há um quiosque do Xiquila e acho que só abri porque fui motivado pelos trabalhadores”, disse Nicolau Capitão, que tem feito depósitos regulares à sua conta.
Já Mustafa Daramy, de nacionalidade senegalesa, é proprietário de uma cantina localizada nas imediações da Ingombota. Solteiro, “com muitos filhos”, Mustafa informa que utiliza os serviços de POS (Ponto de venda) do banco digital, e avalia o sistema como sendo bom.
“Por enquanto ainda não há muita aderência. Mas gosto do serviço porque para se efectuar um pagamento a pessoa só precisa do seu número de telefone e o código”, afirma.