A partir do próximo mês, o Executivo angolano vai aprovar um programa de expansão da rede viária e ferroviária da província de Luanda, cuja execução começará imediatamente. Segundo garantiu, em Luanda, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, num encontro com os responsáveis da província, o projecto vai permitir melhorar a mobilidade da zona Sul da província, numa altura em que, por exemplo, avançou, além da construção da avenida da Corimba, se prevê erguer mais duas, uma das quais, será a Marginal da Corimba, que vai ser uma avenida moderna com um metro de superfície, comportando mais de cinco quilómetros de praia à frente.

Este programa informou, prevê, igualmente, melhorar a acessibilidade da zona Norte e do novo aeroporto internacional ao centro da cidade de Luanda. Na ocasião, foi avançado que para os próximos meses serão desenvolvidas acções relacionadas com a melhoria da imagem das ruas da cidade capital do país, como é o caso de pintura de 59 edifícios, poda de mais de 9.000 árvores, reparação de passeios e lancis, trabalhos de tapa buracos nas vias terciárias e colocação de sinalização rodoviária, horizontal e vertical.

Plano metropolitano
Como consequência do crescimento demográfico e urbano acelerado de Luanda, verificou-se um avolumar dos problemas de mobilidade que se reflectem em elevados custos operacionais de perda de competitividade da actividade económica a nível da província. As grandes políticas para o desenvolvimento da cidade estão alicerçadas na realidade urbana de uma grande metrópole que é Luanda, daí que, o plano metropolitano de Luanda, que está a ser elaborado, terá um cariz essencialmente urbanístico. Neste contexto, o plano director-geral metropolitano, que será implementado no período de 2016/2030, entre outros segmentos, abrange a mobilidade na província de Luanda.
Quanto à rede viária e de transporte, o plano destaca que será levada a cabo a terraplanagem e asfaltagem de vias e a construção de parques de estacionamento, de modo a proporcionar uma maior comodidade aos cidadãos nas suas deslocações.
O projecto contempla igualmente a construção de paragens de autocarro e terminais rodoviários de interligação urbana, para conferir mais conforto aos utentes e melhorar o trânsito em zonas cruciais de recolha e saída de passageiros.
Segundo dados avançados aquando da apresentação pública do plano de desenvolvimento provincial de Luanda, o futuro plano metropolitano incluirá medidas integradas, destinadas a promover o rápido desenvolvimento dos municípios e a reforçar as suas potencialidades.

Projeccção do programa
O plano de desenvolvimento da cidade de Luanda colocará a tónica dominante nos factores geradores de prosperidade, designadamente no equilíbrio entre cinco dimensões do desenvolvimento, nomeadamente produtividade, infra-estrutura, qualidade de vida, equidade e inclusão social, sustentabilidade ambiental.
Associado a estes princípios, o plano passará também por dez vectores centrais, nomeadamente a melhoria das questões de gestão urbana, transportes públicos, infra-estruturas, urbanização, capital humano, ambiente de negócios, serviços básicos, descentralização administrativa, sociedade civil e segurança pública.
O diagnóstico apresentado, por altura da apresentação do plano de desenvolvimento da província de Luanda, indica que os recursos humanos e as tecnologias de informação da província necessitam de uma reestruturação profunda, que os capacite para os desafios do desenvolvimento, através da formação e avaliação de desempenho dos seus funcionários e da capacidade para diminuir os prazos de resposta e melhorar a capacidade de acompanhamento estatístico da vida socioeconómica.