A manutenção da despesa com pessoal e o reembolso do serviço da dívida vão, em 2015, evitar que, em momento algum, o país deixe de honrar as suas obrigações. Esta afirmação consta da mensagem que o Presidente, José Eduardo dos Santos, enviada na quarta-feira à Assembleia Nacional, onde foi aprovado o OGE/2015.

Conforme lê-se, o que se pretende é garantir a continuidade e a aceleração do ritmo de implementação dos projectos de investimento financiados com recursos alheios. Há, ainda, o repriorizar dos investimentos financiados com recursos ordinários do Tesouro, distribuindo-os de forma mais espaçada no tempo.

A mensagem do titular do poder executivo enumerou uma série de preocupações que deverão ser tidas como prioritárias, designadamente:
- Garantia do funcionamento das instituições prestadoras de serviço público no domínio da educação, saúde, assistência social e serviços de defesa e segurança e antigos combatentes e veteranos da pátria;
- Asseguramento no exercício de 2015 da continuidade do ajustamento da qualidade da despesa, optimizando os subsídios, ajustando tarifas e preços, de modo a tornar as empresas públicas prestadoras de serviço público mais eficientes;
Garantia da implementação das acções previstas nos programas de combate à pobreza e de desenvolvimento rural;
- Manutenção de um défice público de 806,5 mil milhões de kwanzas, equivalente a 7,0 por cento do produto interno bruto, financiado com recurso ao mercado interno e externo.

De acordo com o exposto, o OGE revisto de 2015 terá uma execução cautelosa, que acompanhará a evolução da receita fiscal, em particular da potenciação da receita não-petrolífera.