As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) angolanas, que em 2014, fixaram-se em 26,9 mil milhões de kwanzas, cerca de 23 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) asseguram cerca de seis meses de importação.

A mais recente garantia foi dada, em Luanda, pelo director do gabinete de Estudos e Relações Internacionais do Ministério das
Finanças, João Quipipa.

De acordo com o responsável, Angola é o segundo maior produtor de petróleo na África Subsahariana, atrás da Nigéria, com uma produção média de petróleo em 2014 de pouco mais de 1,6 milhões de barris/dia.

Conforme disse, novos campos de petróleo vão garantir que a produção se situe à volta de 2 milhões até 2020, mesmo tendo em conta o declínio natural dos campos de petróleo existentes.

Quanto à solidez económica, lembrou que a taxa de inflação regista, desde 2010, uma descida confortável, associada a uma coordenação das políticas monetárias, cambiais e fiscais eficazes, estimulando o investimento
e a produção nacional.

“O controlo da tendência de preços e da dinâmica na implementação da política monetária e fiscal, comportamento do sector petrolífero e não petrolífero, influenciaram o ritmo de crescimento do PIB a preços do mercado, relevando os efeitos de ganhos do investimento e da produção
nacional”, disse.

A taxa de câmbio de referência registou uma ligeira depreciação, em 2014, na ordem de 1,79 por cento, tendo o kwanza evoluído de kz/usd 96,6 em 2013, para 98,3 em 2014 sobre a taxa de juros.

Cenário favorável
Em finais do ano passado, o Banco Nacional de Angola (BNA), através do seu Boletim Informativo sobre o panorama monetário, avançava já que o valor das reservas internacionais liquidas em Julho atingira os 29.574 milhões de dólares (cerca de 3,0 triliões de kwanzas).

Apesar de denotar-se uma ligeira quebra, justificada pela entrada de menos divisas das receitas fiscais, o mercado continua a registar um controlo na oferta de cambiais por parte do banco central.

Reservas brutas
No que diz respeito às reservas brutas, estas incluem o ouro, que em Julho valiam 76.401 milhões de kwanzas, uma descida em comparação com o mês anterior.

Nesta altura, o grosso das reservas líquidas diziam respeito a aplicações sobre não residentes, que em até Julho continuavam em mínimos de 2014, em 28,8 mil milhões de dólares (mais de 2,0 triliões de kwanzas), praticamente inalteradas
face ao mês anterior.