Os salários dos funcionários públicos depreciaram em mais de 100 por cento desde 2014, altura em que a crise económica e financeira começou a se fazer sentir em Angola com reflexos negativos na taxa de câmbio. No mercado primário, a moeda depreciou-se em termos nominais em 68% entre 2013 e 2016, tendo passado de Kz/Usd a 97.6 para Kz/Usd 164. A escassez de moedas no mercado fez disparar as divisas, o que tornou a taxa de câmbio do formal e do informal menos flexível em relação aos anos de 2009 a 2013.
No mercado informal teve um maior impacto sobre as expectactivas dos agentes económicos e da população assalariada, tendo registado uma depreciação acumulada de 352% ao passar de kz/Usd 104,7 em 2013 para 472 em 2016.
Com base nestes indicadores, o Jornal de Economia & Finanças recorreu a cálculos para achar a média actual do valor dos salários actualizados desde Junho de 2017 dos funcionários públicos (Presidência da República, Ministérios, Institutos Públicos e Governos Provinciais) com os indicadores da taxa de inflação.
Num cálculo simples e prático, o JE usou a taxa aproximada de 1 usd/100 kwanzas que vigou de 2010 a 2014, altura em que os salários estavam em alta da função pública.
Esta avaliação que o JE faz não inclui as empresas do sector empresarial público que obedecem a um outro regime, já que o tecto salarial depende, em grande medida, dos lucros de cada organização empresarial mista. Por exemplo, um salário com os devidos subsídios, de um presidente do Conselho de Administração de uma empresa pública pode chegar a 3 milhões de kwanzas.
De um administrador executivo pode estar na escala de entre 1 milhão a 1,7 milhões de kwanzas, com as devidas regalias que têm direito.

Salário do Presidente
Nos cálculos feitos por via da publicação oficial (Diário da República), constatou-se que o salário máximo no aparelho do Estado seria a do Presidente da República que está a 1.024.207,74 kwanzas (repartido em salário base 640.129,84 e 384,077 kwanzas e despesas de representação).
Para um possível reajuste do salário do Chefe de Estado angolano estaria no tecto de 2.071.080 kwanzas, registando um aumento de mais de 100 por cento. A média de remuneração do Presidente e dos restantes funcionários do Aparelho do Estado é calculada pela taxa cambial em vigor com a última actualização salarial de Junho de 2017.
Se não houvesse variação da taxa de câmbio que era praticada entre 2010 e 2014 (1 Usd/100 kz), o Presidente teria o equivalente a 10.242 dólares, convertido com a taxa de terça-feira do BNA (1 usd a 202,215 kz), daria um salário líquido de Kz 2.071.080. Ontem, o câmbio 1 Usd/kz estava cotado a 204.240. Em relação ao tecto salarial mínimo à volta de kz 21.380 de um porteiro de 3ª classe, pessoal de apoio aos estabelecimentos hospitalares e serviços de saúde - carreira não técnica e também os auxiliares de limpeza de 2ª classe, depreciou-se igualmente em mais 100 cento.
Com o actual cenário de inflação, a categoria desta tabela estaria em 43.071 kwanzas, contra os 21.380. Outra categoria que perdeu o poder de compra é a do pessoal técnico e não técnico da função pública.
Os técnicos especialistas principais têm um salário que vai de Kz 91.383 a 166.874, actualizando saltaria de 184.622 a 337.294 kwanzas.
Dos técnicos médios, o vencimento actual é de Kz 49.040 a 899, com a actualização sairia de Kz 99.085 a 181.791.
Já as carreiras do pessoal não técnico que aufere actualmente 36.652 a 48.870 a ser actualizado daria num salário base líquido de 74.010 a 98.680 kwanzas.
O vencimento actual de um motorista com as duas categorias de segunda e de primeira é 33.598 e a 42.761. A ser actualizada com o câmbio actual, seria de 67.742 a 86.345 kwanzas, respectivamente.

Membros do Governo
O vice-presidente da República aufere 843.371,06 de kwanzas (544.110 de salário base e 299,260,70 de despesas de representação). Com a perda do poder de compra, o seu salário seria (Usd 8.433), equivalente ao câmbio actual de 1,705 milhões de kwanzas.
Com as despesas de representação, os ministros de Estado têm um vencimento-base de 768.155,81 (512.103,87 e mais 256.051,94), enquanto os ministros e governadores provinciais embolsam 696,141,20 kwanzas do seu rendimento (o seu salário base é de 480.097,38). A verba 627,327,24 é atribuída aos secretários de Estado e vice-governadores provinciais. Na actual conjuntura, os ministros de Estado teriam um salário de 1.55 milhões de kwanzas, enquanto os ministros e governadores provinciais 1,40 milhões de kwanzas. Os secretarios de Estado teriam 1.26 milhões, valor semelhante a dos vice-governadores provincais.

Tecto dos cargos de direcção
Os detentores de cargos de direcção e chefia também têm os seus salários depreciados. 408.507,44 kwanzas é o salário de um director nacional, de um secretário geral, directores de gabinetes de membros do Governo, secretário-geral da Universidade Agostinho Neto (UAN), Inspector Geral, Director Geral de instituição pública, Director de Gabinete Jurídico, Director de Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística e do director do Intercâmbio Internacional. Com uma actualização tendo em conta a variação do câmbio,
ganhariam 826.048 kwanzas.

Cargos inferiores
O salário de um chefe de departamento, mas estes sem direito a despesas de representação, está na ordem de 286.671,89 kwanzas (seria 579.548 kwanzas). Esta tabela é também de um director adjunto de gabinete de um ministro, director do gabinete de relações públicas da UAN, chefe de departamento de Documentação e Informação e inspector chefe de primeira, de um chefe de departamento provincial e inspector chefe de primeira.

Forças armadas e Interior
Na tabela de vencimentos-base das Forças Armadas Angolanas, os salários vão desde Kz 27.489 de um soldado/grumete a Kz 521.660 de um general de aviação. Um general do exército e almirante têm uma renda mensal de kz 475,527 e 432.942, respectivamente.  Um tenente general/vice almirante ganha 390.358 e brigadeiro/contra almirante a 354.870 kwanzas.
Já nos vencimentos de base dos cargos de direcção e chefia do Ministério do Interior, o comandante-geral da Polícia Nacional tem um salário de 607.117 incluindo o subsídio. O inspector-geral e o segundo comandante auferem 561.339 kwanzas, enquanto são remunerados com Kz 470.321, o director nacional de órgãos centrais e do Comando Geral da Polícia Nacional (CGPN).
Um comissário tem 475.527 como remuneração. No vencimento-base dos magistrados judiciais, o mais baixo é 288.058 kwanzas de um juiz e procurador municipal com menos de 5 anos .

As mais
baiXas remunerações
No sector da Saúde e Educação, os que auferem menos pertencem a categoria da carreira não técnica. Por exemplo, o salário mais baixo está na casa dos 21.380 kwanzas de um porteiro de terceira classe e na área de enfermagem de um auxiliar técnico de diagnóstico que está na escala dos Kz 49.040, um auxiliar técnico de diagnóstico e terapêutico de 3ª classe.
O mais alto é do chefe de serviço com 381.426 kwanzas. No sector da educação, o salário menos desfavorável é de Kz 57.213,97 de um professor de ensino primário auxiliar do 5º escalão e o mais alto de um professor do II Ciclo do Ensino Secundário Diplomado do 1º escalão.
No ensino universitário, um assistente estagiário tem 190.713 kwanzas de salários.
Um técnico superior principal tem uma remuneração de 214.552 kwanzas, enquanto de primeira classe 190.713 e de 2ª a 166.874 kwanzas.
No Ministério do Interior, os salários mais baixos são dos agentes de terceira classe com 59.866 e os não alistados com 24.435 kwanzas.
Quanto ao pessoal técnico-administrativo,  um auxiliar de limpeza de segunda aufere Kz 27.000, menos que um telefonista que ganha 36.652 kwanzas. Os operários têm tectos salariais de 24 a kz 36.000