A especialista de implementação do programa Tripartido de Facilitação de Transporte e Trânsito (TTTFP) da Sadc, Nadia Zubaida, disse que a capital da Tanzânia, Dar-es-Salaam, aplicou um sistema de trânsito rápido (BRT), que está a solucionar o congestionamento “crónico” do tráfego e do transporte público.
A especialista da Sadc, que falava em Luanda na primeira Conferência Internacional sobre Mobilidade, garantiu que os BRT normalmente operam, usando linhas de autocarros, enquanto os passageiros pagam as suas tarifas antes de embarcar, promovendo o fluxo de tráfego.
Nadia Zubaida revelou que o número de BRT está a crescer rapidamente em todo o mundo. De 40 BRT, em 2007, passou para 170 montados até 2019.
Igualmente especialista do Banco Mundial e do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), Nadia Zubaida afirma que o sistema combina a flexibilidade do trânsito dos autocarros com a velocidade, além da confiabilidade e capacidade
dos sistemas ferroviários. “Um projecto que deu nova vida a Dar-es-Salaam e aumentou a sua competitividade na região Oriental de África”, destacou.

Sistemas de controlo
A gestora afirmou que o projecto depende da modernização e harmonização do transporte rodoviário, da assinatura de acordos de gerenciamento de carga de veículos, bem como do acordo multilateral de transporte rodoviário transfronteiriço.
O projecto deve também englobar a dimensão e equipamentos para veículos, o controlo de carga e o transporte de mercadorias
perigosas por estrada. Inclui ainda teste de aptidão do veículo, treinamento e teste de motoristas, responsabilidade do operador pela qualidade das operações e a segurança no trânsito rodoviário.
Com a aplicação do BRT, a cidade Dar-es-Salaam passou a ser a terceira mais rápida de África, em termos deste tipo de transporte. Segundo a especialista, Dar-es-Salaam é uma das cidades que mais cresce em África, onde mais de 6 milhões de pessoas usam o sistema de transporte rápido. “O sistema de BRT é mais ambicioso de África e foi introduzido para fornecer um serviço de transporte público melhor e moderno”, assegurou.
Além de reduzir drasticamente o tempo de deslocamento para os habitantes de Dar es Salaam, que anteriormente enfrentavam mais de 4 horas por dia no engarrafamento também ajudou a melhorar as condições para o transporte não motorizado na cidade.
A maioria das estações possui faixas de ultrapassagem, permitindo que uma parte da frota forneça serviços expressos aos principais destinos.
Nadia Zubaida informou que o projecto foi financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), Banco Mundial (BM)
e o Governo da Tanzânia.