O Ex-presidente José Eduardo dos Santos autorizou, em Abril de 2015, a compra e venda de uma aeronave de modelo Bombardier incl. Global 6000, no valor de 62.500 milhões dólares (14,8 mil mihões de kwanzas). Além disso, foram compradas mais duas aeronaves para apoio ao serviço da Presidência da República.
A parceria com a fabricante canadiana originou que se assinasse, no dia 05 de Maio de 2018, o histórico contrato de aquisição de seis aeronaves do tipo Q400. Este acordo foi assinado pelo novo operador de transporte aéreo angolano, empresa denominada Air Express– Transporte Aéreo S.A e a fabricante canadiana Bombardier.
Segundo apurou o Jornal de Economia & Finanças, a compra de 2015 esta enquadrado num pacote persidencial.

Meandros
O Diário da República de 23 de Abril I Série Nº55, onde consta a informação de uma das encomendas, diz que o Ministério dos Transportes foi autorizado a celebrar o contrato de aquisição da referida aeronave com a empresa ME Aviation Limited, enquanto o Ministério das Finanças asseguraria os recursos financeiros necessários.

Disponibilidade
Segundo uma fonte, as aquisições ocorreram.
O certo é que o ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, visitou o Canadá em Novembro de 2009 e este ano em Março último, onde anunciou a entrada da nova operadora de transporte aéreo doméstico, com vista a proporcionar a criação de emprego e investimento na formação de quadros angolanos.
Os integrantes da delegação angolana a si encabeçada mantiveram encontros com responsáveis do consórcio Intelcan Technosystems na cidade de Otawa.
Além disso, o ministro dos Transportes teve um encontro, em Montreal, com o presidente da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), o nigeriano Olumuya Bernard Aliu, com quem analisou questões ligadas à implementação efectiva das normas e práticas recomendadas pela organização.
Naquelas paragens, o ministro constatara também as potencialidades do fabricante de aeronaves do tipo Bombardier Q-400, com sede e representação nas cidades de Montreal e Toronto.
O ministro Augusto Tomás, em forma de realce, disse que a aeronave do tipo tem sido utilizado com sucesso na actividade comercial aérea em vários países do continente africano.

Origem do financiamento
Enquanto o acordo de 2015 foi aprovado com o financiamento do Estado angolano (62.5 milhões de dólares) para uma única aeronave, já o segundo assinado este ano com a chancela do Ministério dos Transportes ficou no valor de Usd 143.400 mil dólares norte-americanos (34 mil milhões de kwanzas) para a compra de seis aeronaves modelo DH8-Q400.
Fazendo os cálculos, os custos para a aquisição dos aparelhos estariam à volta de 23.83 milhões de dólares (5.4 mil milhões de kwanzas), duas vezes mais abaixo do valor do contrato de 2015.
Os subscritores defendiam que a compra de aeronaves poderia ser na sua totalidade, tendo os mesmos chegado a um entendimento de que o valor seria residual da aeronave no final do contrato de locação, podendo consoante opção passar a ser propriedade da Air Conection mediante
pagamento de valor final.
O financiamento estava a ser montado por um sindicato bancário composto e liderado pelo Banco de Negócios Internacional e Bancos de Desenvolvimento Afrexim, sediado no Egipto e EDC – Export Development Canadá, sendo que nas devidas proporções o BNI e o Afrexim, financiariam o PDP e a dívida “junior” e o EDC financiará a dívida “sénior”.
Havia a garantia de 90% do capital para a aquisição das aeronaves e necessidade de aporte de capital por parte dos accionistas do valor de 10% do capital e apresentação de garantia soberana para asseguramento do financiamento.