A circulação de pessoas e mercadorias, ao longo da estrada nacional número 105, que liga o país à vizinha República da Namíbia, através do posto fronteiriço de Santa Clara, na província do Cunene, está agora melhor facilitado, com a reinauguração de dois importantes troços da via, totalmente reabilitados.


Trata-se dos eixos rodoviários Humbe/Cahama de 85 quilómetros e Ondjiva/Santa-Clara, de 45, com os quais termina assim a reabilitação integral da estrada nacional 105, que une a fronteira de Santa Clara à Benguela, passando por Ondjiva (Cunene) e Lubango, na província do Cunene.

Com a melhoria da via de comunicação, ficam assim facilitadas as trocas comerciais por terra entre Angola e a região da Sadc, numa altura em que o país está a criar as condições para entrar na zona de comércio livre.

Os dois troços foram reinaugurados pelo vice-governador para o Sector Económico do Cunene, António Candeeiro, que expressou satisfação perante a qualidade das obras, desde o tapete asfáltico à sinalização vertical e horizontal.

Programa estratégico
Na ocasião, o vice-governador para o Sector Económico do Cunene, António Candeeiro, disse que a infra-estrutura rodoviária representa um dos grandes ganhos, e a atenção que o Governo angolano está a dar no quadro do programa de reconstrução nacional.

As obras foram executadas pelas empresas Levon e Crbc, esta última chinesa, e comportam 12 metros de largura, com duas faixas de rodagem, sendo uma em cada sentido, e bermas de 1,5 metros.

De acordo com o representante do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Rosário Mendes de Carvalho, os trabalhos das duas empreitadas tiveram início em princípios de 2012, cuja intervenção versou sobre a aplicação de novo tapete asfáltico, sinalização vertical e horizontal e a construção de numerosas hidráulicas.

Rosário de Carvalho admitiu que o melhoramento integral da estrada nacional 105 facilita a mobilidade das viaturas na transportação de mercadorias entre os dois países, além de promover o desenvolvimento na região.

A melhoria da via está a ser aplaudida pelos automibilistas, principalmente camionistas que tiram mercadorias da Namíbia para o interior do país, que vão desde géneros alimentícios, mobílias aos electrodomésticos.

Rafael Canganjo, um camionista, que normalmente tira produtos diversos de agencias de mercadorias de Oshikango, na Namíbia, para a cidade do Huambo, disse ao JE que, com a reabilitação da estrada o tempo de viagem, sobretudo de Santa Clara ao Lubango, no percurso de 420 quilómetros, ficou reduzido para sete horas, quando antes consumia-se quase um dia inteiro.

Aquele utente da via apelou aos outros utilizadores a conservarem da melhor forma a estrada para que tenha durabilidade necessária.