Os camponeses organizados em associações, cooperativas, empresas agrícolas e pequenos agricultores, na província do Uíge, prevêem produzir cerca de quatro milhões de toneladas com destaque para a banana, mandioca, café, amendoim, milho, batata-doce e rena e horticulturas.
A informação foi avançada ao JE pelo director do Gabinete provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Eduardo Gomes, tendo informado que a produção será desenvolvida numa extensão de 288 mil hectares, que estão a ser trabalhadas, sendo que 80 por cento destes hectares já foram semeados.
Nesta época agrícola, os camponeses vão escoar 900 mil toneladas de banana que já se encontram prontas em diferentes campos agrícolas da província.
Segundo o responsável, o aumento da produção agrícola é fruto dos apoios e incentivos que os camponeses beneficiaram nos últimos meses, nomeadamente em instrumentos agrícolas, sementes e fertilizantes, bem como as condições climatéricas e a fertilidade.
A nível da província estão controladas 275. 850 empresas agrícolas familiares, 868 associações agrícolas, 49 cooperativas e pequenos agricultores, todos envolvidos na produção dos alimentos em grande escala, disse, tendo acrescentado que os apoios têm sido significativos.
Eduardo Gomes afirmou que para a presente época agrícola, o Ministério da Agricultura e Florestas já disponibilizou grandes quantidades de sementes, fertilizantes e instrumentos de trabalho, como catanas, enxadas, machados, pás, motobombas, limas e outros meios para a produção.

Dificuldades
O responsável lamenta as dificuldades com que os camponeses enfrentam no processo de escoamento dos produtos, por causa das péssimas condições das vias de acesso, sobretudo as secundárias e terciárias, falta de meios de transportes e compradores em algumas localidades.
“A maior necessidade dos camponeses é a mecanização da agricultura, mas devido à insuficiência de máquinas e técnicos, falta de acessibilidade ao crédito, bem como o mau estado de algumas estradas condiciona o desenvolvimento da produção agrícola mecanizada na região”, disse.
Grande parte dos camponeses na província desenvolve a agricultura de subsistência familiar, por isso, clama para que o governo encontre soluções para mecanização da agricultura, disse.

Pecuária
Quanto à agro-pecuária, o responsável fez saber que a província conta com mais de 10 mil cabeças de gado bovino, suíno e caprino.
Os criadores desenvolvem as actividades nos municípios de Negage, Sanza Pombo, Puri, Cangola, Maquela do Zombo e Mucaba.
Localizada a 317 quilómetros no extremo norte da capital do país, a província do Uíge é composta por 16 municípios, 31 comunas, com uma população estimada em cerca de dois milhões de habitantes.
A mandioca, banana, café, amendoim, milho, feijão, arroz, batata-doce, inhame, cana-de-açúcar, abacates, gergelim e hortícolas são entre outros bens produzidos na região.