Cinco mil e 40 jovens, dos 21 mil e nove formados de 2008 a 2018 pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (Inefop), em Benguela, conseguiram o primeiro emprego durante este período, com realce para os sectores da construção civil, comércio, agronomia e prestação de serviços.
Essa informação foi avançada segunda-feira, no município da Ganda, pelo director provincial do Inefop, António Manuel Paulo, durante um encontro com mais de 200 jovens da circunscrição, no âmbito do dia da juventude angolana, comemorado domingo (14).
Na mesma senda, disse que as casas de digitalização de documentos, fotocópias e outros serviços informáticos, também têm absorvido uma quantidade razoável da mão-de-obra jovem em Benguela.
O responsável recordou que existem políticas de Estado para inserção da juventude no mercado de trabalho, cabendo ao Inefop velar pela redução do desemprego no país, através da criação de centros de formação profissional, onde a juventude tem prioridade.
“Há estágios profissionais criados junto das empresas para os jovens formados nos centros do Inefop e incentivamos as entidades estatais e privadas a comunicarem as vagas de emprego existentes, em função das suas necessidades. Ao Inefop, cabe a responsabilidade de seleccionar os jovens com os perfis adequados”, explicou.
Nesta perspectiva disse que, os jovens têm sido encaminhados a essas empresas para a sua inserção no mercado de trabalho, cumprindo com uma das políticas essenciais do Estado.