O mais recente estudo global sobre a monitorização do empreeendedorismo em Angola, relativo ao ano 2012, que foi apresentado ontem, 4/07, em Luanda, mostra que Angola figura em sexto lugar entre 69 países com vontade de empreender novos negócios e aproveitar novas oportunidades em organizações já existentes.

O estudo “global entrepreneurship monitor” (GEM) Angola, efectuado pela Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) com o apoio da Universidade Católica de Angola (UCAN), conclui que em 2012 se registou uma taxa de actividade empreendedora (TEA) de 32,4 por cento, a sexta mais elevada do universo de 69 países incluídos na avaliação.

O estudo incidiu numa sondagem a 2.636 indivíduos, com idades entre os 18 e os 64 anos, e foi realizado entre Agosto de 2011 e Outubro de 2012.

O relatório refere que o sector em que se concentrou a maior parte (80,5 por cento) da actividade empreendedora foi o orientado para o consumidor, que inclui todos os negócios direccionados, como o retalhista, restauração, alojamento, saúde, educação e lazer, entre outros.

Seguem-se depois os sectores da transformação (14,4 por cento), do cliente organizacio.

Dados apresentados esta semana pelo novo estudo global sobre a monitorização do empreendedorismo volta a revelar a capacidade dos angolanos na criação de pequenos e médios negócios em vários ramos.