O produtor Afonso Cadula referiu que, os agricultores precisam do apoio do Governo para a aquisição de sementes, fertilizantes, meios de transporte para o escoamento dos produtos, brigadas de mecanização de terra, concepção de créditos agrícolas, reabilitação das vias terciárias e da implementação de projectos de cadeias de valores agrícolas com vista a impulsionar o surgimento de pequenas fábricas de produção.
A par destas culturas, o agricultor também desenvolve a piscicultura para a criação de peixe. Para este ano, o produtor agrícola almeja atingir maior produção para comercializar no mercado de Ponta-Negra, na República do Congo Brazaville.
Por sua vez, o agricultor Bento Zau, 53 anos, revelou que na época 2016/2017 não atingiu a produção desejada por falta de incentivo do governo local.
Segundo ele, este ano, os agricultores estão dispostos a trabalhar a terra, mas aguardam por apoio.
Para a camponesa Rosa Sevo Lupando que possui na aldeia do Mandarim, três hectares, onde planta mandioca, banana, tomate e batata-doce espera, que a produção deste ano seja excelente em comparação a registada no ano transacto.
“Estou convicta de que a produção deste ano vai ser melhor, apesar de carecermos de materiais agrícolas, por isso, solicitamos o Governo para apoiar os agricultores que vão estar envolvidos nesta campanha agrícola”, apelou. JS