A partir da próxima semana os contribuintes nacionais passam a ter como o seu código de Identificação Fiscal (NIF) o actual número do respectivo Bilhete deIdentidade (BI).
Segundo fez saber a Administração Geral Tributária (AGT), o novo NIF para pessoas singulares tem como objectivo principal travar a fuga ao fisco e enquadra-se na perspectiva de simplificação a adoptar pelo estado, que tem em vista a emissão de um documento único.
A entrada em funcionamento do novo Número de Identificação Fiscal (NIF), que será igual ao número do Bilhete de Identidade (BI), para cidadãos nacionais e do cartão de residente para estrangeiros, vai fazer com que deixem de existir os NIFs do tipo 1 (para pessoas singulares), tipo 2 (para as pessoas que exercem actividade económica), do tipo 5 (para empresas sujeitas a imposto industrial) e do tipo 7 (para entidades isentas do imposto industrial).
A partir de Janeiro do próximo ano, altura em que inicia a segunda fase, maior atenção será prestada às
empresas colectivas.