Mais de 100 toneladas de produtos químicos nocivos à saúde estão expostos num armazém impróprio e ao ar livre, na vila do Alto Catumbela, município da Ganda, província de Benguela, situação que preocupa as autoridades locais e do Ministério do Ambiente.
Para o efeito, uma equipa multissectorial, em que integram técnicos dos Ministérios do Ambiente e da Defesa Nacional trabalhou segunda-feira na localidade, para constatar “in-loco” da situação, cuja exposição destes produtos ao ar livre e sua consequente deterioração acarretaria riscos de
contaminação à população.
No final do trabalho, o inspector-chefe do Serviço Nacional de fiscalização do Ministério do Ambiente, Carlos Manuel Paca Cardoso, disse à Angop que os produtos são altamente nocivos cuja exposição ao ar livre constitui um grande perigo e atentado à saúde das populações locais.
O ambientalista Carlos Cardoso exigiu a criação de um programa para a remoção destes produtos, apesar do sector de tutela ter havido trabalhado já no seu acondicionamento de maneira eficaz no recinto fabril, até uma determinação definitiva.
Segundo o responsável, estima-se que estejam concentrados no local mais de 100 toneladas de produtos químicos diversos, como cloreto de potássio, lixívia negra, branca, amoníaco, amónio, enxofre e outras substâncias tóxicas misturadas ainda por determinar, daí a necessidade de diferentes instituições juntarem-se
para uma solução definitiva.
“Os produtos em 2014 estavam bem acondicionados no recinto fabril da celulose e uma empresa que os sectores do Ambiente e da Defesa desconhecem recolocou num armazém impróprio por si construído nos arredores da vila, estando outros ao ar livre e pela sua perigosidade não devia estar conforme se encontram”, disse preocupado.
Por seu turno, o chefe da cátedra de defesa da academia militar superior do exército no Lobito (Benguela), tenente-coronel António Pedro Mateus, afirmou que o perigo reside no facto de existirem alguns produtos fora do armazém que podem deteriorar-se por influência do Sol, chuvas, vazar e constituir riscos maiores.