Angola aderiu nesta terça-feira à Agência Internacional de Energias Renováveis, uma organização que tem como objectivo apoiar os países interessados em potenciar as suas capacidades energéticas.

O embaixador angolano na Republica Árabe do Egipto, Pedro Hendrik Vaal Neto, assinou, na cidade egípcia de Sharm el Sheik, em nome do Governo, a carta de adesão à Agência, cuja reunião constituitiva deverá ter lugar em 2010 na cidade de Abu Dhabib, capital dos Emiratos Árabes Unidos.

A criação da Agência Internacional de Energias Renováveis é uma ideia que nasceu há dois anos, tendo Angola estado na base do nascimento da Comissão Provisória que a partir de agora dará lugar à nova instituição.

Vários países do mundo vêem, nesta organização, a grande possibilidade de potenciarem as suas capacidades energéticas contando, para isso, com o apoio financeiro das grandes potências que se comprometeram, no âmbito da instituição, a apoiar programas sustentados que lhes sejam apresentados.

Nesta terça, no primeiro dia de trabalhos da Comissão Provisória, os Emiratos Árabes Unidos foram eleitos como sede da futura Agência tendo, para tal, contado com o apoio de Angola e beneficiado da desistência concertada de dois outros candidatos, a Alemanha e Áustria.

A França assumiu a direcção geral da Agência Internacional de Energias Renováveis que terá a sua primeira reunião constituitiva em 2010 na cidade de Abu Dhabib, capital dos Emiratos Árabes Unidos.

Os trabalhos da Comissão Provisória terminam quinta-feira, segundo e último dia da reunião, que conta com a presença de representantes de 134 dos 185 países membros. Os participantes estão a debater os estatutos e o orçamento que regerão a actividade da Agência Internacional de Energias Renováveis.

A República de Angola tem vários projectos em estudo que, com a assinatura da carta de adesão, poderão ser incrementados.

A delegação angolana à reunião, na cidade egípcia de Sharm el Sheik, chefiada pelo embaixador Pedro Hendrik Vaal Neto, conta ainda com a presença de técnicos dos ministérios da Energia e das Relações Exteriores e de diplomatas seniores da Embaixada de Angola na República Árabe do Egipto.