A capacitação técnica e a formação de quadros angolanos na Argélia encabeça a lista de prioridades na cooperação entre os dois países no domínio da Geologia e Minas, informou hoje, em Luanda, o ministro angolano do sector, Francisco Queiroz.

O governante angolano, que falava à imprensa, no final de um encontro de trabalho com o Ministro da Energia da Argélia, Youcefi Yousfi, afirmou a que a definição das áreas de formação de quadros se deve ao facto daquele país do norte de África possuir boas escolas técnicas e universidades.

“A troca de delegações e o envio de estudantes para formação na Argélia no domínio da Geologia e Minas é o que consideramos poder ser feito de imediato”, realçou Francisco Queiroz.

Disse que a ida de estudantes angolanos para aquele país, que divide a fronteira nordeste com a Tunísia, deverá acelerar a implementação do Plano Nacional de Geologia (Angola), que vai precisar muitos quadros.

Por essa razão, prosseguiu, vamos aproveitar o potencial e a experiência da Argélia nos domínios dos fosfatos, ferro e rochas ornamentais, ramo em que possui os mármores mais procurados do mundo.

Francisco Queiroz destacou o avançar de contactos no subsector do fosfato, porque o País já trabalha na exploração desse mineiro sobretudo nas províncias de Cabinda e do Zaire (Soyo).

O ministro da Geologia e Minas disse, relativamente ao fosfato, que o interesse de Angola é colher a experiência argelina na produção e a transformação local desse mineiro em fertilizantes. “Vamos beneficiar dessa experiência para aplicar aqui”- disse.

Para o ministro da Energia da Argélia, Youcefi Yousfi, o encontro com o governante angolano serviu para reforçar a cooperação no sector de Geologia e Minas entre os dois países membro da União Africana (UA).

“Temos um protocolo de cooperação. Estudamos (no encontro) a possibilidade de um protocolo de cooperação no domínio específico de exploração mineira”, frisou Youcefi Yousfi.

Em Angola desde segunda-feira (09), a delegação encabeçada pelo ministro da Energia da Argélia já manteve contactos de trabalho com o ministro angolano dos Petróleos, José Botelho de Vasconcelos e testemunhou a assinatura de um protocolo que permitirá relançar a cooperação, em vários domínios, entre as companhias petrolíferas de ambos os países.

Trata-se da Sociedade Nacional de Combustíveis (Sonangol) e a sua similar Sonatrach, da República da Argélia.