O mais recente estudo global sobre a monitorização do empreeendedorismo em Angola, relativo ao ano 2012, que foi apresentado ontem, 4/07, em Luanda, mostra que Angola figura em sexto lugar entre 69 países com vontade de empreender novos negócios e aproveitar novas oportunidades em organizações já existentes.

O estudo “global entrepreneurship monitor” (GEM) Angola, efectuado pela Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) com o apoio da Universidade Católica de Angola (UCAN), conclui que em 2012 se registou uma taxa de actividade empreendedora (TEA) de 32,4 por cento, a sexta mais elevada do universo de 69 países incluídos na avaliação.

O estudo incidiu numa sondagem a 2.636 indivíduos, com idades entre os 18 e os 64 anos, e foi realizado entre Agosto de 2011 e Outubro de 2012.

O relatório refere que o sector em que se concentrou a maior parte (80,5 por cento) da actividade empreendedora foi o orientado para o consumidor, que inclui todos os negócios direccionados, como o retalhista, restauração, alojamento, saúde, educação e lazer, entre outros.

Seguem-se depois os sectores da transformação (14,4 por cento), do cliente organizacional (3,5) e, por último, o sector extractivo (1,6 por cento).

Quanto à faixa etária, a dos 35 aos 44 anos continua a ser a mais empreendedora, com 43,9 por cento. De acordo com as análises do estudo, muitos dos negócios criados têm vida efémera, pois desaparecem devido à ausência de resultados positivos e também por falta de financiamento.

Em termos de atitude empreendedora, 66,2 por cento dos angolanos acreditam que existirão boas oportunidades para a criação de novos negócios nos próximos seis meses e 71 por cento têm intenção de criar um negócio nos próximos cinco anos.

A consulta a 42 especialistas angolanos ligados ao empreendedorismo, incluindo, entre outros, líderes do sistema financeiro, responsáveis governamentais, membros do sistema de ensino e empreendedores de renome, fez igualmente parte do estudo.
O projecto GEM é uma avaliação periódica da actividade empreendedora, aspirações e dificuldades dos indivíduos num largo conjunto de países. Actualmente, o GEM é o maior estudo sobre dinâmicas empreendedoras no mundo.

Impulsionado, originalmente, pelo Babson College (EUA) e pela London Business School (Reino Unido), a primeira edição deste estudo ocorreu em 1999 e abrangeu dez países.

A edição de 2012 contou com a participação de 69 países, incluindo Angola, que participou pela terceira vez, depois de 2008 e 2010.
O GEM pode-se constituir numa base de análise interessante para Angola, país onde o empreendedorismo se encontra no centro da política económica e industrial, abrangendo quer a criação de novos negócios, quer o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios em organizações já existentes.

O Banco de Fomento Angola  é parceiro da Ucan e da SPI desde 2008, ano em que se realizou o primeiro estudo GEM em Angola.

Indicadores relacionados com aspectos macroeconómicos do empreendedorismo, recolhidos de fontes internacionais, tais como o World Economic Outlook, do Fundo Monetário Internacional (FMI), e o Global Competitiveness Report, do Fórum Económico Mundial e por último o GEM 2010 Global Repor são igualmente outras fontes usadas para o estudo.