Os esforços para melhorar a produtividade da agricultura na África Austral saíram reforçados terça-feira, 18, com a aprovação, pelo Conselho de Administração do Banco Mundial (BM), de um projecto no valor de 50 milhões de dólares, que visa aumentar a disponibilidade  de tecnologias agrícolas em Angola e no Lesotho. O financiamento do BM procede de 20 milhões de dólares da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA) e usd 25 milhões do Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), destinando-se usd 5 milhões ao Centro de Coordenação da Agricultura na África Austral (CCARDESA) na qualidade
de facilitador da parceria. O projecto está inserido no programa em curso de Produtividade Agrícola para a África Austral (APPSA) financiado pelo BM e que engloba outros países da região, como Malawi, Moçambique e Zâmbia. O enfoque do APPSA na tecnologia agrícola contempla a necessidade de melhoria da competitividade e da resiliência da agricultura africana, utilizando a integração regional como um mecanismo central para se alcançarem maiores taxas de crescimento e de redução da pobreza.

Aumentar a produtividade
O Banco Mundial dá conta que, apesar de se ter registado um aumento da produtividade agrícola na África Austral, os rendimentos médios de Angola e do Lesoto estão abaixo da média regional. Por isso, a nova aposta deve contribuir para reduzir o fosso existente, por meio de investimento adicional em disseminação e adaptação à tecnologia. “Este projecto vai ajudar os investigadores, agricultores, extensionistas agrícolas, distribuidores de factores de produção e utilizadores finais em Angola e no Lesoto a reforçarem os elos entre si e com os outros países participantes”, referiu Mark Cackler, gestor da Área de Práticas Agrícolas do Banco Mundial. O gestor avançou que tudo está em consonância com o objectivo duplo do Banco Mundial, de reduzir a pobreza extrema e promover
a prosperidade partilhada. A agricultura continua a ser a principal fonte de subsistência, de emprego e de rendimento para a maioria dos 330 milhões de pessoas que vivem na região da África Austral. Contudo, apesar da fertilidade da terra e dos recursos hídricos da região, a produtividade do sector da Agricultura não foi, ainda, plenamente explorada, o que tem prejudicado a transformação económica. O Banco Mundial diz que as actividades financiadas no âmbito do APPSA incluem geração de tecnologia e actividades de disseminação de Investigação e Desenvolvimento Inovadores (R&D), associadas com grupos de produtores de matéria-prima ou temas de tecnologia visados pelos países participantes, bem como o reforço do ambiente institucional propício para a adaptação à tecnologia nos países visados.  Segundo o Banco Mundial, essas actividades estão em linha com os programas e políticas regionais, incluindo a Política Agrícola Regional (RAP) da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e o Programa Integrado para o Desenvolvimento da Agricultura em África (CAADP) da União Africana (UA).