secretário de Estado do Comércio, Jaime Fortunato, garantiu, recentemente, no município do Rivungo, no Cuando Cubango, que o projecto de navegabilidade fluvial vai facilitar o volume de transacções comerciais entre Angola e Zâmbia, em função de grandes potencialidades económicas.
Jaime Fortunato prestou tais considerações no final da visita efectuada pelo ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, que serviu para constatar as obras do projecto de navegabilidade fluvial do Cuando,
no município do Rivungo.
Para o responsável, o empreendimento que está a ser erguido e na sua fase final, reverter-se-á num ganho importante para a população a todos os níveis, quer na geração de emprego e na renda das receitas fiscais, verificadas nas infra-estruturas para Administração Geral Tributária.
Do ponto de vista de ganho, o secretário do Estado referiu que é um projecto que resulta do esforço que o Ministério do Comércio vem desenvolvendo e que poderão resultar em ganhos consideráveis para o país, dado o facto de o projecto encontra-se num eixo transfronteiriço.

Ganhos
Na ocasião, o chefe de departamento de Segurança Marítima no Rivungo, Nero Maria, disse que o projecto de navegabilidade fluvial no Cuando Cubango irá garantir melhores condições de vida nas duas comunidades, bem como fomentar um intercâmbio comercial no domínio
político, social e cultural.
Deu a conhecer que é um projecto que tem como empreiteiro Clay Disposal (sul-africana) e como fiscal a empresa Propgest, com prazo de conclusão até Junho de 2017.
Referiu ser um projecto de investimento público, coberto por fonte ordinária do Tesouro Nacional, de carácter social com diferentes características, nomeadamente a construção de um canal.