Empresários angolanos foram convidados pela Embaixada do Ghana em Angola para participar na 23ª edição da Feira Internacional, sob o lema: Made in Ghana, a decorrer de 1 a 3 do mês em curso no International Trade Fair Center, em Accra.
Segundo apurou o JE de fontes da embaixada, o objectivo do certame é apresentar o progresso no programa de pesquisa do Ghana, o valor e a motivação do país para que os seus produtos e serviços venham respeitar especificações e padrões internacionais.
O JE apurou ainda que, durante o evento serão realizadas conferências, seminários, sessões B2B e será reservado um dia para cada um dos países participantes na feira, demonstrar as suas potencialidades.
A feira irá congregar mais de 600 empresários do Ghana e de outros países designadamente: Turquia, Espanha, Itália, Síria, África do Sul, Egipto, Nigéria, Burkina Faso e outros da região e do continente.
O Ghana foi um dos primeiros países a estabelecer relações com Angola, logo após a sua independência, estabelecendo no ano de 1976 a sua missão diplomática. O Ghana tem grande interesse em cooperar na área dos petróleos, precisamente na aquisição do crude angolano, mas esta pretensão não pode ser satisfeita já, tendo em conta outros compromissos já assumidos.
Ainda neste domínio, as autoridades ghanenses mostraram interesse em cooperar com Angola na formação dos seus quadros, designadamente no domínio da exploração, refinação, marketing, perfuração, geologia, geofísica, contratos, tendo em conta que estão em curso naquele país planos para prospecção do crude ghanense.
Existem também excelentes relações de cooperação nos domínios da Energia, entre a ENE (Angola) e a Volta Energy Authority (Ghana), e Comercial, entre a Câmara de Comércio de Angola e a Associação de Industriais ghanenses, o que tem estado a impulsionar a participação de empresários deste país na Filda.
No que se refere a Filda, o Ghana começou com uma participação nas edições da Filda de seis empresários e hoje contabilizam-se 40 pedidos de operadores ghanenses para os próximos eventos.
A geologia e minas é uma área que interessa também a cooperação bilateral, tendo em conta a elevada exploração mineira no Ghana, o que pode ser útil para a troca de experiências e eventual criação de empresas mistas.
No domínio do comércio e da banca, tem havido evolução, registando-se um aumento da participação de empresários ghanenses essencialmente em eventos angolanos, tais como a Filda.